https://www.poetris.com/
Poemas : 

FUTUM

 
Estou assustado, confuso, tenebroso...

Sinto o que se apodera de mim: gangrena!
Percebo em tudo o que faço... o odor.

Fragrância nas palavras e, até, em meus pensamentos,
Razão pela qual os abutres mentais me cercam
E desovam sobre mim uma terapêutica carnificina.

Minha consciência é húmus febril e dantesco,
Tudo apodrece em meu íntimo e é inhaca...
Minhas ideias estão em derredor desse ranço
E é uma caatinga que se faz em mim sertão...

Estou nauseabundo, preso a uma trincheira de dejetos
Que me retêm o olfato inadimplente das rosas...
Noto-me depósito de uma urina ácida e sem cor,
Por isso uma insanidade atrevida comanda meu eu
E me leva a diagnosticar-me estrume da existência!



DE Ivan de Oliveira Melo

 
Autor
imelo10
Autor
 
Texto
Data
Leituras
66
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
2
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HELDER-DUARTE
Publicado: 12/10/2020 13:51  Atualizado: 12/10/2020 13:51
Da casa!
Usuário desde: 24/11/2006
Localidade: Albufeira
Mensagens: 396
 Re: FUTUM
O maior mal é ter a alma podre!

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 13/10/2020 18:04  Atualizado: 13/10/2020 18:04
Da casa!
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade:
Mensagens: 339
 Re: FUTUM
Salve poeta! Augusto, certamente, exultaria ao ler seu poema, assim como eu o fiz...

Open in new window