https://www.poetris.com/
Poemas : 

SENSAÇÕES

 


Meus tecidos são do puríssimo algodão…

Meus olhos contêm raios ultravioletas

Que se manifestam ao sabor de puras imagens

E se locupletam diante dos refis dourados


Que o mundo oferece como regalo da natureza.

Minha audição retém uma sonoplastia rítmica

Que açambarca qualquer ruído procedente do éter

Fictício ou da solidão imposta pela saudade…


Meu tato migra sempre que aveludo as porções

De um cotidiano frívolo e sem o caráter personalístico

Que a ciência exibe em suas experiências laboratoriais

Donde se obtém as híbridas sensações da sensibilidade.


Meu olfato é um exemplo típico que cobaia os prazeres

De uma existência oxigenada pela sensualidade apócrifa

E traz, ao reduto do absurdo, a impossibilidade de sentir

As emoções intempestivas da consciência inconsequente.


Por último, retenho do paladar os sabores das multidões…

O gosto é um invólucro que percebe, da infidelidade, o

Tempero nocivo das traições que sedimentam as raízes

Da infelicidade e trazem à criatura uma conexão alienígena!

 
Autor
imelo10
Autor
 
Texto
Data
Leituras
180
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.