https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Levante

 
 
lágrimas fósseis
impedem o deslumbre
das coisas belas

mas o tempo também é feito de primaveras
logo
o outono do peito passará
como inverno das nossas perdas …


um dia…
sei que estarei ao teu lado…olhando-te do alto do coração

um dia…
transformemos a saudade numa dádiva de afeto e de paz ao quadrado …







 
Autor
Frágilvocábulo
 
Texto
Data
Leituras
323
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
28 pontos
4
4
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Erotides
Publicado: 12/03/2021 01:19  Atualizado: 12/03/2021 01:19
Colaborador
Usuário desde: 26/02/2020
Localidade: Brasileira
Mensagens: 1450
 Re: Levante
É sempre bom ler palavras de esperança

Enviado por Tópico
Legan
Publicado: 15/03/2021 10:03  Atualizado: 15/03/2021 10:03
Colaborador
Usuário desde: 26/01/2010
Localidade: Algures em Trás-os-Montes
Mensagens: 571
 Re: Levante
As lágrimas secaram um dia e muitas primaveras estarão por vir.

Gostei

Abraço

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 15/03/2021 14:12  Atualizado: 15/03/2021 14:24
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1970
 Re: Levante
Poente

Filosoficamente é estranho imaginar que os fins são muito mais certos que os começos. Tudo acaba, ainda que vivamos com a ilusão que o nosso fim é diferente do nosso começo, por exemplo.

Mas se o fim é certo, mais incerto é o começo. Nem tudo começa. Há muito que não começa.

Gostei muito da fossilização da lágrima. É uma bela metáfora, e mantém a memória da dor num sentido intenso e terroso.
No segundo verso não tenho a certeza se o verbo não deveria estar no plural para manter a concordância.

E sim, perdemos a noção do belo e do bem sob o efeito dessa dor, dessa memória.
Acho que foi a primeira estrofe, aparentemente tão simples, sem palavras caras, sem presunção... que me cativou.

Atiras-nos com um gigante poético que dá solidez ao texto, "... o tempo...".
Aparentemente cíclico, avanças com outra metáfora bem conseguida, as estações do ano (frio-calor, nascer-finar), que acabam por trazer a mensagem que pretendes.

Essa ideia idealista, e verificável, de que o que nos espera é precisamente essa doce cruz.

Achei a terceira estrofe um pouco mais fraca, talvez por ter mais alusões a lugares comuns, e não adore corações em poemas. Sobretudo pelo que já tinha lido até então.

Mas acabas muito bem, ao quadrado, procurando uma multiplicação por si mesmo desse "...um dia..." ainda que prefira círculos.

Um oriente quase perfeito, na minha modesta opinião.

Já tinha saudades de comentar.

Obrigado pela leitura

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 15/03/2021 15:25  Atualizado: 15/03/2021 15:25
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: Luxor (Egito) / काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 1066
 Re: Levante
Teu poema, a exemplo de outros teus que já li, tem uma densidade ímpar. As frases, os versos, as ideias, tudo colocado de forma que obriga o leitor a pensar e permite que pense por si, sem induzi-lo a um caminho que o autor acredita. Muito bom.