https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Palavra dita e não maldita

 
Open in new window

Em meu coração luso,
Corre lava de versos,
Que em momentos diversos
Uso e docilmente abuso

Abuso no bom sentido da palavra
Dita e não maldita,
N’olhar de quem em mim acredita
E colhe sementes da minha lavra

Lavro com o coração nas mãos,
E cada semente
Que lanço à terra, está presente
O suculento sumo do meu coração

Que escorre d’alma
Às intempéries da solidão,
E adoça tenebrosa aflição
De quem tivera seu coração em chama

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
253
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
2
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Upanhaca
Publicado: 20/03/2021 20:01  Atualizado: 20/03/2021 20:46
Colaborador
Usuário desde: 21/01/2015
Localidade: Sol Poente
Mensagens: 6981
 Re: Palavra dita e não maldita
Tantas lágrimas enxuguei
Tanta dor acalmei
Com a doce doce
Das palavras que canto.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/03/2021 22:41  Atualizado: 20/03/2021 22:41
 Re: Palavra dita e não maldita
oh... já te vi escrever palavras mal ditas e mal escritas e... quis elucidar-te de tamanha barbaridade e tu viraste-te contra quem te quis abrir os olhos. e não foi somente contra mim! eheh acho-te uma piada! o que dizes pode ter muito valor se ouvires o que dizes. à vezes convém ouvirmos o que dizemos. muito embora pelo que dizes no que escreves aprendas nada mas... é outra história, maldita
o sumo do teu coração! por acaso não estás a ver o cu... da ção! pois não? olha que eu...
uma boa noite... (...)