https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Desilusão : 

Mil altares

 
No palco da memória, a cena persiste,
Um amor que se foi, mas não desiste.
Na mente, o eco de risos e olhares,
Como sombras dançando em mil altares.

A dor se entrelaça em versos sofridos,
No peito, o eco de suspiros perdidos.
É difícil romper os laços do passado,
Quando o coração segue bem amarrado.

As lágrimas caem como chuva fina,
A saudade tece uma teia divina.
A cada lembrança, um suspiro profundo,
No labirinto do amor, falta-me o mundo.

Mas há de vir o tempo, lento e seguro,
Cicatrizando feridas, trazendo o futuro.
E nesse palco da vida, novo esplendor,
Aprendendo esquecer e a recomeçar com amor.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
274
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
4
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 08/12/2023 15:45  Atualizado: 08/12/2023 15:45
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 10413
 Re: Mil altares
Muito belo! Termina com versos de esperança que esse amor que ainda está amarrado com laços, venha a ter dias felizes.

Gostei de ler
Um abraço


Enviado por Tópico
Paulo-Galvão
Publicado: 08/12/2023 16:28  Atualizado: 08/12/2023 16:28
Usuário desde: 12/12/2011
Localidade: Lagos
Mensagens: 1169
 Re: Mil altares
Olá Odair,
Saber recomeçar é uma b~enção.
Parabéns,
Paulo