https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Rio, Ó Sagrado Rio !

 


Querida, hoje voltei ao meu primeiro lar
com todo o mar do tempo que não (me) perdoa
dos meus olhos a jorrar, lágrimas bailarinas ...
a rolar...
em todas as ondas do relógio em que me abençoas
e não sei o que mais (me) pesa
não sei o que de leve é mais imponderável
se os teus pés a bailar
se a tua imagem de menina
juntinha a mim... a orar...

LSJ, 140720111151, Os Filmes

Quinta-feira, 14 de Julho de 2011 8:07

 
Autor
sommerville
 
Texto
Data
Leituras
367
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.