Poemas -> Reflexão : 

Tempo, decisão e destino!

 
Como é que te sentirias com o mundo na palma da mão,
Com tudo e todos a teus pés mas sem amor dentro do coração?
Davas tudo para sorrir, se nada mais fosses ter?
Darias tudo para sentir só para de longe me poderes ver?
Será que entendo que querer não chega? Será que sei que tenho que lutar?
Perder tudo sem nada fazer, é loucura da mente, tenho que deixar o meu coração falar.
Agora olha para mim, deixa-me sonhar com o dia em que serei teu,
Dá-me vontade de continuar e encontrar a chama que desapareceu,
Angustiado com a minha vida, perdido sem estar contigo,
Vejo o meu fim tão próximo mas tão difícil de alcançar sozinho.
Entendo o que devo fazer e sei que te posso conquistar,
Gosto de ti com força e és tu que me vais levantar,
Não importa tudo o que já vivemos,
Cada segundo é precioso e não os devemos deixar passar,
Temos que os agarrar e não os deixar fugir sem antes os marcar,
Já tantos passaram e tão mal aproveitados,
Só temos que nos preocupar em mais nenhum desperdiçar.
Vejo o pêndulo do relógio a balançar e a contar,
Cada segundo que perco e sei que não vai parar,
É tão irreal ter a nossa vida cronometrada,
E só chegamos ao fim se tivermos um sorriso estampado na cara.
Bem podes gritar, berrar, saltar não importa,
Podes espernear, chorar, implorar não vai chegar,
Há muita coisa a ser feita e o tempo não vai parar,
A vida é tua, eu sei, e cada um tem que dela cuidar.


Michel Carvalho

 
Autor
Razoro
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2026
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
PauloAlves
Publicado: 03/06/2008 13:51  Atualizado: 03/06/2008 13:51
Colaborador
Usuário desde: 18/04/2008
Localidade: Bern, Suiça
Mensagens: 1590
 Re: Tempo, decisão e destino!
Tem razão caro Razoro, o tempo não para por nada, o importante mesmo é aproveitar ao maximo cada segundo, fazer deles um eterno momento...
Adorei ler seu texto...Parabéns

Abraço

Paulo Alves