Poemas -> Desilusão : 

Sedenta

 


Sede de amor
Desejo incontrolável
Que sai, do peito…
Do coração
Desespero
De um amor que pensava ser meu…
Volúvel
Nem à ilusão consegues ser fiel…
Quisera eu o teu amor, puro
Quisera eu os teus lábios que
Só meus naquela recordação
As tuas carícias que pensava ser minhas
Mas vã ilusão
Eu quisera
Nada me resta
Só uma sede insaciável
Sede de amor
Desejo que se mantêm teu …

Eu…….

AnaR


AnaR.

 
Autor
AnaR.
Autor
 
Texto
Data
Leituras
992
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.