Poemas -> Tristeza : 

Hoja a vida chegou ao fim

 
Tags:  medo    hoje    sono    relógio    morto    sós  
 
Hoje, os olhos não vão adormecer
as horas não vão passar,
o retorno não vai acontecer,
porque ele jamais há-de voltar

Hoje.. a noite vai ser demorada,
E a luz ver-se-á cansada,
Pois não sinto a cama ou o sono,
Só dor e abandono
De uma noite que não se dá por terminada

Hoje, não contas os minutos para o ver,
não sentes nem longe, nem perto
Avarias o relógio, que estando certo
Anuncia a hora que não queres saber
Pois um lado da tua vida parece morrer

Hoje, o medo teve tudo..
a tua voz, talvez a minha..
e se estivéssemos sós
talvez também a nós o medo tinha..


Para morrer é só preciso estar vivo. Hoje há mais uma estrela no céu e menos um anjo na terra. Adeus *


Choro com os dedos para não o fazer com lágrimas!

http://naoprecisadenome.blogspot.com/


 
Autor
Moon
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1514
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
4
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 19/04/2009 18:31  Atualizado: 19/04/2009 18:31
Membro de honra
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 11253
 Re: Hoja a vida chegou ao fim
Para morrer basta estar vivo e nunca sabemos quando esta viajem vai chegar,gostei muito deste poema numa despida eterna sentida.

Beijo

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/04/2009 23:31  Atualizado: 19/04/2009 23:31
 Re: Hoja a vida chegou ao fim
Um tanto quanto "downn"...mas escrevemos coisas por vezes. Abraços

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/04/2009 18:41  Atualizado: 23/04/2009 18:41
 Re: Hoja a vida chegou ao fim
Quantas vezes me senti assim...Mas o dia nasce de novo, o sol brilha e a vida acontece...


Muito triste mas muito belo.

Beijo azul

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/04/2009 21:35  Atualizado: 23/04/2009 21:45
 Re: Hoja a vida chegou ao fim
Existe creio um sentimento "escondido" na maneira como recita, como escreve...uma "revolta", uma dor inconsolável, que conforto algum tráz.

Por vezes parecemos ter perdido tudo, quando aceitamos que parte de nós morreu...naquele momento, até o céu pode desabar, que não sentimos absolutamente nada.

Um relâmpejar de sentimentos feridos, que corroí, que destroi e nos rasga por dentro, e nos devora por fora.

Independentemente da perda, que poderei dizer para a incentivar a "viver"?

Não deixe que a solidão da vida, por mais difícil que pareça aceitar o desenlace, a absorva a ponto de desanimar completamente.

Todos nós acabamos ainda que não desejemos, por perder um dia, o que ninguém poderá devolver...

Mesmo que parte de nós "morra", mesmo assim teremos de aceitar que viver, é um direito pelo qual teremos de lutar, dia após dia...não desista jamais de acreditar, só é possível vivendo...

fernando.