https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Insónia

 
Noite de insónia,
Mais uma.
Cheira a álcool
Sabe a carne crua
Ferve-me o sangue por baixo
Da pele nua
…E a maldita insónia perdura

Reclama o corpo por sossego
Que é muito mais do que posso dar.
Sinto-me sufocar de medo
De nunca mais dormir nem acordar

Mas não faz mal, penso
É só mais uma
Noite de insónia
Grávida de lua
Céu negro que há-de clarear…

Mais uma volta nos lençóis frios
Mais uma hora no relógio sem dó
Mais cérebro sem espaços vazios
Mais insónia que me faz em pó…

 
Autor
Marta_Iz
Autor
 
Texto
Data
Leituras
473
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
heberaguiar
Publicado: 25/04/2009 16:50  Atualizado: 26/04/2009 23:32
Participativo
Usuário desde: 24/04/2009
Localidade:
Mensagens: 21
 Re: Insónia
Acredito que o texto fica sempre mais rico
quando está carregado de sensasões, concepções,
sentimentos... tudo imbuído de um despojar-se
desavergonhado.
Tudo isso Insónia tem, e não só Insónia.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 25/04/2009 17:10  Atualizado: 25/04/2009 17:10
 Re: Insónia
Oi Marta, está aí a história de tantos, neste belo poetar!
Insônia? Que dureza viu?!
parabéns pelo poema!
Abraço
Edilson

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 25/04/2009 20:57  Atualizado: 25/04/2009 20:57
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: Insónia
Gostei do modo como ilustras esse momento de aridez e de «medo/De nunca mais dormir nem acordar».
Um beijo