https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Almas

 
Tags:  alma    momento    mudar    muitas    manter  
 
Há em mim coisas que queria mudar
Há em mim coisas que queria manter
Mas, no fundo, a verdade
É que tudo o que quero mudar, mantenho
E tudo o que quero manter, mudo…
Porquê?

Às vezes, é estranha a forma
Como, dentro de um único corpo,
Podem habitar tantas almas,
E nenhuma ser melhor que a outra

É estranho como o certo e o errado
Se misturam dentro do ser
E formam uma mistura a que chamamos:
Humanos.

É estranho como o seguro e o inseguro
Batalham numa guerra sem fim
Usando o cérebro como campo de batalha
E o coração, inocente, como arma.

É estranho como, por vezes
Aquilo que mais odiamos,
é o que tendemos a ser
e não conseguimos mudar isso

É estranho como acabamos por sofrer
Seja qual for o caminho que escolhemos
E dizemos que o sofrimento nos faz crescer
Mas, se é para estar sempre a sofrer,
Porque crescemos?

E de um momento para outro
Conseguimos criar em nós
Mais uma alma
Diferente das que já tínhamos
Porque, as que temos, não chegam

Mas o mais estranho é sem dúvida
O facto de haver tantos, com tantas almas
E tantos outros
Sem nenhuma.

 
Autor
MarioC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
525
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.