https://www.poetris.com/
Vinícius de Moraes : Soneto a quatro mãos
em 18/04/2007 19:50:00 (4967 leituras)
Vinícius de Moraes

Tudo de amor que existe em mim foi dado.
Tudo que fala em mim de amor foi dito.
Do nada em mim o amor fez o infinito
Que por muito tornou-me escravizado.

Tão pródigo de amor fiquei coitado
Tão fácil para amar fiquei proscrito.
Cada voto que fiz ergueu-se em grito
Contra o meu próprio dar demasiado.

Tenho dado de amor mais que coubesse
Nesse meu pobre coração humano
Desse eterno amor meu antes não desse.

Pois se por tanto dar me fiz engano
Melhor fora que desse e recebesse
Para viver da vida o amor sem dano.



**************************************************


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
HELDER-DUARTE
Publicado: 25/12/2020 15:13  Atualizado: 25/12/2020 15:13
Colaborador
Usuário desde: 24/11/2006
Localidade: Albufeira
Mensagens: 633
 Re: Soneto a quatro mãos
É assim o amor!

Links patrocinados

Visite também...