https://www.poetris.com/
Robert Frost : Num cemitério em desuso
em 08/10/2008 22:00:00 (3475 leituras)
Robert Frost

O vivos vêm pisando a grama,

vêm ler no morro as inscrições;

o cemitério ainda os atrai;

os mortos é que não vêm mais.



Os versos nele se repetem:

“Aqueles que hoje vivos vêm

a ler as pedras e se vão

mortos é que amanhã virão.”



Certas da morte as lousas rimam,

mas não sem deixar de notar

que nenhum morto já não vem.

Do que é que os homens medo têm?



Seria fácil ser esperto

e lhes dizer: "Eles detestam

a morte, e já não entram nela."

Talvez caíssem na esparrela.



TRADUÇÃO: RENATO SUTTANA
FONTE: ARQUIVOS DE RENATO SUTTANA

**************************************************


Imprimir este poema Enviar este poema a um amigo Salvar este poema como PDF
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
jessébarbosadeolivei
Publicado: 09/10/2008 11:33  Atualizado: 09/10/2008 11:33
Da casa!
Usuário desde: 14/09/2008
Localidade: SALVADOR, Bahia ---- BRASIL
Mensagens: 368
 Re: Num cemitério em desuso
estou a postar os poemas deste grande poeta
pois o tom filosófico de sua poesia
me cativa. ele mostra a majestade e a magnitude
das coisas que gravitam a galáxia do nosso
cotidiano.

Links patrocinados

Visite também...