https://www.poetris.com/
Artigos > Luso-Entrevistas > Luso do mês > Novembro 2008 - Flávio Silver

Novembro 2008 - Flávio Silver

Publicado por Luso-Poemas em 01-Nov-2008 00:00 (4532 leituras)

Introdução

Um pescador de terras e lavrador de mares, tem o dom de purificar pensamentos pela mestria da frase, onde a palavra em orgasmo, pela crítica sublime e em apoteose, nos canta o hino do amor e da clarividência.
Flávio é daquelas descobertas que nos faz pensar que estamos mediante um simples vitral, quando na verdade se trata do mais refinado dos diamantes. Um estilo muito próprio faz da sua escrita algo de supra maravilhoso, num estilo deveras fantástico, sem no entanto deixar de nos transportar entre a realidade crua e nua e o belo do mundo onírico, que medeia o melhor entre o sonho e a realidade.
Flávio é um escritor como poucos, consagrado pelo que é e não pelos canones do saber instituído.
Existe uma nova vaga de (alguns) escritores de novos afectos e cunho ao novo século e paradigma civilizacional em que vivemos, e Flávio é sem dúvida um porta-estandarte desses novos valores que ajudam a humanidade na sua busca incessante da descoberta de quem somos e nessa descoberta o podermos sonhar ir mais além no conceito que faz do homem o ser humano que não é mas que se deve tornar.
Flávio não é, é.
(Texto de José Lourenço (jsl) a ser incluido no próximo livro: “sou um louco que sabe tocar acordeão”)

Pequena nota biográfica

Open in new window
Flávio Lopes da Silva, nasceu em Barcelos há 34 anos e reside em Barcelinhos, freguesia separada pelo rio cávado.
Além a escrita, a guitarra clássica é o porquê das suas viagens sem ter de ir.
Tem formação de música clássica, em viola dedilhada e, desde muito novo que os seus tempos livre é dividido entre a música e a escrita.
Aos dezoito anos começou a tocar em bares, formando um dueto à qual ainda se mantém nos dias de hoje.
Tem três livros editados: Nós vezes nós, de poesia, editado em 2006.
e Líquida Obsessão, de contos, editado em 2007 e Sétimo Vão, de poesia, editado em 2008.
E vai editar ainda este ano, em Dezembro, o seu 4º livro, textos de performance poética, chamado : Sou um Louco que Sabe tocar acordeão.
Fundou a Associação Às Artes – Movimento Artístico-Cultural de Barcelos, à qual preside e é membro do Grupo Surrealista de Barcelos.
A sua actividade literária vai desde a crónica, onde quinzenalmente publica no jornal a Voz do Minho, com o título, Teoria dos Calhaus, escreve para teatro, já escreveu um guião para um filme de baixo orçamento chamado REALIDADES, e contos infantis, onde prevê editar num futuro próximo.
Um dos projectos que tem na mesa é a realização de sketches humorísticos. Já que a vertente humorística é um lugar onde se sente bem.
“Inspiro-me nas pessoas, naquilo que toco e não toco, na mancha da parede, no descascamento das árvores, etc. Enfim, tudo vale como incenso poético”


Entrevista

Pedra Filosofal - Quem é o Flávio escritor e o Flávio músico? Um complementa o outro, ou são duas partes distintas duma só pessoa?
Flávio Silver - Claro que a escrita tem um ritmo, um pulso, uma acelaração em que, graças ao facto de eu ter formação musical (clássica), isso é como ter um ventinho bom a soprar-me nas costas e, como resultado: aí vou eu!
Na escrita os sons também são importantes, assim como a criação das imagens que palpitam pelos poros, que começam num trote e depois segue o galope - a isto chama-se: imaginação: a paixão de quem se arrisca em cada frase. A dualidade música\escrita é um sémem tão perfeito que é capaz de fecundar dentro de uma pedra. Eu, enquanto músico, sou uma espécie de vento que percorre a cidade às duas da manhã e, enquanto escritor, sou a própria cidade.
A música e a escrita são duas mulheres, duas amantes que dormem comigo na mesma cama. (como diz o val: poligâmico!). Agora é que me tramei quando minha esposa ler esta entrevista e saber que afinal haviam outras!

Godi - Como você vê a função da arte, em geral, concentrando-se, preferencialmente sobre o viés literário?
Flávio Silver - A arte tem e deve devolver às pessoas as suas capacidades mentais enquanto seres pensantes. É uma forma de comunicar com o mundo interior onde as regras e as leis são abolidas dos fundamentos impostos pela sociedade em geral, estabelecendo desse modo a ponte e os eixos entre o bem e o mal, onde através de diversas expressões artísticas interage-se numa linguagem comum. A arte deve partir do inconsciente da pessoa como tentativa de rezar a um deus interior, como um ópio livre que transpõe barreiras. Na literatura a arte deve assumir o papel de agente imagético onde as coisas mudam de lugar sempre que o autor quiser, sem perguntar: posso entrar?

Open in new windowValdevinoxis - Sem fugir muito deste teu registo, queria que nos dissesses o que é que te leva a encostar às tuas duas amantes (música e escrita) e como é que, de facto, surges ou te insurges na escrita? São amores de infância ou, pelo contrário, já o foram adultos?
Flávio Silver - Surgi na escrita como quem viesse por detrás das minhas costas e me empurrasse, ou seja, comecei por tocar guitarra e, como consequência natural, passei a escrever as minhas canções, o que pelas minhas contas mal feitas devo ter seguramente mil e tantas letras. Depois e, após ter rimado tudo com mais alguma coisa, de ter ganho calos nos olhos a compor decassílabos e heptassílabos, daqui até à poesia, crónica, conto e outros estilos literários foi um assobio. Por volta dos meus 14 anos segui, como quem segue um destino, um amigo meu, muitíssimo popular por estas bandas, o Quim Ricocas, ou, O Dob Dylan de Barcelos, que, através do seu surrealismo absoluto me levou para patamares nunca dantes realizados. Quer a escrita quer a música surgiram na minha vida por volta dos três dias de idade ( ) e, o resultado disso, é que passo horas a tentar reconstruir a minha infância na base da construção de imaginários e frases que façam catapultar para outras dimensões por enquanto ainda não-palpáveis pelo comum mortal. Enfim, a base de todo o meu manifesto assenta na Liberdade, Amor e Combate. Gosto da possibilidade íntima e infinita de construir o meu barco, o meu leme e os meus tripulantes (acho que já disse isto em algures). Gosto de destruir para depois reconstruir o meu próprio Mito. Leiam por favor o método paranóico-crítico do Salvador Dali.

Paulo Afonso Ramos - Conta-nos as tuas aventuras pelo mundo das artes e como te sentes bem dentro dele? (projectos etc)
Flávio Silver - Tenho vários projectos. Neste momento sou presidente da Associação Às Artes-movimento artístico-cultural de Barcelos. Tenho 3 livros editados e participei em diversas mesas redondas (incluindo mesas de tascos) para falar um pouco de artes e letras, sempre ao sabor de uma brisa policultural. Emoções?!, por ter várias, levaria horas a contá-las, mas, no entanto, é do miolo dessas experiências que se fortifica o atleta que sou, na escrita e na vida, já que, para além deste tipo de feições meias amarroquinadas, com trejeitos inconscientes, um atrevido surrealista, sou pai de duas meninas e, nesse sentido tenho sempre bons motivos para descer à Terra.
Pois é sabido que a arte transcende qualquer um e, se assim não é, o melhor é dedicar-se a outras lides.

Sara, a esposa do Flávio (em jeito de provocação) – Completa esta frase: se não fosses um “bom” escritor e um “bom” músico serias...
Flávio Silver - Seria um bom pasteleiro! Ou talvez um excelente marido. (a segunda parte da resposta fui forçado a dá-la, juro!). Adoro doces, meu doce!

Vera Silva - Acreditas que a escrita tem o poder de te transformar enquanto homem? Depois da experiência com os teus livros, achas que os jovens já lêem mais? E o que pensas dos novos “dialectos” criados pelos jovens na internet e nos sms? Um livro poderá ajudar a que se mantenham ligados ao português?
Flávio Silver - A escrita oferece o molde do fantástico mundo e, quem quiser coloca lá a cabeça, quem não quiser... que continue a ver a TVI. Enquanto homem, regedor democrático, é claro que a escrita transforma o meu quotidiano, uma vez que, por exemplo: dentro da minha fascinação posso morder a cabeça de um touro e na realidade tenho que me cingir aos cânones sociais e gritar baixinho (tem dias) para que não me chamem de louco. Penso que os jovens lêem mais, talvez porque a escrita virou modinha, uma farsa para adornar a falta de intelectualidade, mas, do consumismo invertebrado até à compreensão lógica e moral das Coisas vitais, isso agora... Mas pode ser um princípio. Até ver! Os novos “dialectos” criados pelos jovens na internet e nos sms marcam um determinado grupo de pessoas, uma certa faixa etária e, por conseguinte, eu, no meu espírito alargado, vejo riqueza nessas linguagens derivadas, pois o que importa é a comunicação, o jeito como as dizemos é tanto ao quanto banal. Sinceramente, a mim não me impressiona nada que a canalha brava use os seus códigos de linguagem, já que, se reportarmos a época para cem ou duzentos anos atrás, a mudança para o que é hoje foi bem maior. Basta consultar um site da especialidade e verão que estou certo. (www.avkd.blogtok.com). Um livro ajuda sempre a manter o elo com o português, com o que é institucionalmente consagrado, embora que a língua falada não compadeça com a escrita; Um pouco rivais até. Mais! Um livro para além do aspecto de se poder beber de todas as fontes do saber, e demais tretas, ajuda-nos a organizar ideias e a reflectir sobre ao que viemos aqui fazer. Isto sim, importa considerar e reconsiderar todas as heranças de testemunhos deixados. Claro que, e é bom não nos esquecermos, a Língua Portuguesa é o maior património do nosso país. Portanto, para quem não sabe isto, digo: eduque-se!
Por outro lado, reconheço que a linguagem tende a ser simplificada, e “por isso ou por enguiço” meus caros, temos de conviver com estas novas formas de simplificação, sem falsos dramas. Quantos aos supostos intelectuais, aos que se sensibilizem com uma única picada, esses, que se danem! E, como diz(ia) o Mário de Cesariny, afinal o que importa não é só a literatura!

Open in new windowTrabisDeMentia - "Perdoai-me Senhor por ser a palavra a minha hóstia, meus versos mal caligrafados serem as vestes rasgadas pelos amantes." - in carrocel-nave. Entre o Sagrado e o Profano, onde colocarias a tua escrita?
Flávio Silver - Bem ou mal, quando escrevo dispo o meu fato solene. Que por vezes ganho grandes almejadas erecções (?). Crio as minhas sementes e as minhas raízes e, quem provar dos meus frutos posso garantir que não ficará nem cego nem surdo. A minha escrita normalmente espreita do alto de uma figueira, faz cócegas em Deus e diz-lhe o que tem a dizer. Tento sem rodopios comandar o jogo, nem que para isso tenha de me atrever a ir buscar advérbios ao cu do mundo. O surrealismo puxa-me para o seu dorso. Sei que é um jogo arriscado mas eu aposto todos os vestidos da minha alma. Se ficar nu, há-de haver um olho secreto que me puxará para o cósmico Deus. Poderá ser esta a tradução daquilo que escrevo, poderá ser este o sinal de que vivemos para lutar, para amar, para cometer um crime, para colocar panfletos de Amor, Amor, Amor sobre os sexos. Direi que a minha escrita situa-se entre o cabo do mundo e o imaginário, no conceito da dupla imagem, Herbertiana às vezes e Flaviana sempre.

JSL - Qual é para ti a maior virtude e o pior defeito desta comunidade - Luso-poemas? O que mudavas?
Flávio Silver - A maior virtude - parafraseando um saber popular - é: mais vale andar aqui do que andar na droga (risos). O pior defeito é: ainda bem que os há, pois se acaso não os houvesse, qualquer santo milagreiro desconfiava. Mudar? Todas as casas se arrumam, umas pela Páscoa, outras pelo Natal, enfim, é certo e sabido que qualquer casa ao fim de um não sei quanto tempo começa a ganhar poeiras e uns aracnídeos indigestos. Na minha condição de inquilino, e feitos todos os somatórios: de renda não pago nada, bebo alguns poemas e ninguém cobra nada por isso, alguns há que até me fazem sonhar, então, quem conhecer melhor lugar do que este que dê um sinal bem alerta. Aqui estarei para ajudar a mudar lâmpadas, a consertar canalizações e outros véus aparentemente acetinados se for verdade que essa Verdade existe.

JSL - Qual seria a pergunta que me farias se eu fosse o Luso do Mês?
Flávio Silver – Amigo JSL, para quando um Homem novo?, aquele Homem costurado com bons pensamentos em vez deste que usa fio e agulhas?!

JSL - Porque é que farias essa pergunta?
Flávio Silver – (vou falar como se não estivesses a ouvir) - Porque o José Lourenço (JSL) não pensa por um nem por mil nem por um milhão, essa pessoa de aspecto frágil, mas decidida, pensa pelo mundo inteiro. É uma espécie de Noé que, nas suas ligações directas, há-de um dia construir um novo mapa das civilizações - um verdadeiro arquipoeta da sensibilidade humana. E mais não digo... pois se quiserem saber mais sobre este homem que para ver ao longe não precisa de lunetas, consultem a sua mente, entrai pelos seus olhos dentro e fixem a luz. Mas cuidado! Não olheis muito de frente, pois podeis cegar se acaso a vossa Razão for daquelas que se compra ao desbarato!

José Torres - a minha pergunta para ti: Escrever é morrer um pouco todos os dias. É saber afinal que a verdade, o belo, tem um preço a pagar. A arte nasce de um triângulo amoroso entre quem escreve, o seu eu espelhado e o outro. Tu pareces indiferente a isso. Escreves e pronto. Não te importas de me dizer como o fazes?
Flávio Silver – Sugiro: ...pareces in-diferente. A minha escrita baseia-se sobretudo no automatismo do desejo, do chamado amor louco. Não olho a escrita - e já o disse mais que uma vez - como uma necessidade ou vício feroz de um típico sofredor que escreve no desleixo de depositar suas mágoas miudinhas em papel perfumado.
Não utilizo a racionalização mas sim a anárquica-paixão-poética; aquilo que pressinto, vejo mas não olho, será talvez a chave do mistério.
Escrevo sem suportes, sem histórias à cabeceira, sem planificar o dia de amanhã, sem precisar de ir ao mar para falar dele.
Escrevo como a criança risca uma folha, unindo naturezas distintas, declarando guerra ao óbvio, caminhando pelos tempos verbais tal fackir sobre as brasas, ingenuamente feliz.
Para quê dar voltas à vida se o caminho é a direito?
Enfim, quando escrevo provo todas as imoralidades. E isso é uma liberdade que me excita bem.

Open in new windowJSL - Quem escolherias justamente para ser o Luso do mês, caso não fosses tu o escolhido? Após esta distinção, pensas abandonar o LP a exemplo de outros Poetas Lusos?
Flávio Silver - Bem, para além de mim e do José Lourenço (já que esta distinção está sendo partilhada por ambos, sarabá meu irmão!) escolheria...tantamtantam...que inicie o rufo do tambor...3 ...2 ...1... e o\a escolhido\a seria ........... Tânia Mara De Camargo, a rainha do soneto erótico, é a que levaria de mim parte do meu sangue poético para possíveis transfusões.
Em resposta à segunda parte da questão digo: Abandonada é a sobrinha da Agatha meus queridos, meus poetas!, A tal de Romana por terra de Lusos! Fiquem sabendo que eu, coronel dos tempos que hão-de vir, patriarca dos filhos futuristas, amante da velha anarquista, filho de um filho que hei-de parir em folha branca, jamais sairei a meio de um combate. Pois é por vós que rasgo terra para criar novos riachos e desse modo levar água a todas as sedes. Porque eu, Flávio Lopes da Silva, 34 anos, pai de duas luzes, cognome de Flávio Silver, tenho por vós a admiração do preço da Descoberta e o sabor das Viagens daqui e d'além satélites. Oxalá que o Luso esteja connosco. Ide em paz e que a literatura vos abençoe. Bye bye.

(Entrevista efectuada a 24-10-2008)


Navegue pelos artigos
Artigo anterior Outubro 2008 - Ibernise Dezembro 2008 - Pedra Filosofal Artigo seguinte
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Carolina
Publicado: 31/10/2008 23:06  Atualizado: 01/11/2008 10:03
Colaborador
Usuário desde: 04/07/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 3471
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Sou a primeira e vou escrever para já só "Parabéns"

venho já.....

Agora, digo-te que mereces esta distinção, gostei de ler a entrevista e da forma como foi conduzida, parabéns aos entrevistadores.

É verdade, a escrita e a música ficam-te bem, mereces singrar por ambas, mas a escrita, acho que é com ela que vibras, tem muito a ganhar contigo e nós, os leitores também.

Beijinhos


Enviado por Tópico
vandapaz
Publicado: 01/11/2008 00:42  Atualizado: 01/11/2008 00:42
Colaborador
Usuário desde: 22/11/2006
Localidade: Lisboa
Mensagens: 572
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Lembro-me quando te sentaste naquele palco improvisado em Anadia e começaste a dedilhar e a soltar musica de primeira

Parabéns pela entrevista, orgulho-me de ti.

Beijos

P.S. Mantém-te deitado entre elas


Enviado por Tópico
TrabisDeMentia
Publicado: 01/11/2008 01:07  Atualizado: 01/11/2008 01:07
Webmaster
Usuário desde: 25/01/2006
Localidade: Bombarral
Mensagens: 2262
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Citando:
Claro que a escrita tem um ritmo, um pulso, uma acelaração em que, graças ao facto de eu ter formação musical (clássica), isso é como ter um ventinho bom a soprar-me nas costas e, como resultado: aí vou eu!


Talvez seja por isso que adoro os teus textos.
Entre as notas existe sempre espaço para o caos das palavras.
Teus textos são alucinados, são autênticos charros de poesia que me levam ao êxtase.
A genialidade sempre vem acompanhada de breves instantes de locura e eu agarro-me a cada um dos teus instantes.

Teu fã
Trabis


Enviado por Tópico
MariaSousa
Publicado: 01/11/2008 01:57  Atualizado: 01/11/2008 01:57
Membro de honra
Usuário desde: 03/03/2007
Localidade: Lisboa
Mensagens: 4096
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Olá Poeta "louco"!

Fico contente por te ver aqui
Mereces.
Parabéns!

Felicidades e muito sucesso.

Um Abraço

Maria


Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 01/11/2008 02:01  Atualizado: 01/11/2008 02:01
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Agora, depois de ler tua entrevista vou mesmo em paz, para onde quer que a literatura me queira acompanhar, porque enriqueceu-me conhecer-te um pouco mais. Excelente, Flavio. E não surpreende, é de se esperar o bom e o ilustre de um escritor, músico, pessoa, como tu.
Parabéns aos que conduziram o momento, um momento providencial e muito agradável!
E à Sara, diga que adorei a participação fecunda.



Um beijo

Amora


Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 01/11/2008 02:24  Atualizado: 01/11/2008 02:24
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14938
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Olá Poeta e músico Flávio

Gostei imensamente da sua entrevista, pareceu-me uma pessoa transparente em suas atitudes e hoje o que falta a muitos é esta transparência que você passa a quem lê a tua entrevista...
Parabéns! Pela entrevista e pela pessoa bacana que pela virtualidade parece ser....

Desejo muito sucesso como escritor e como músico

Beijinhos no coração


Enviado por Tópico
Ibernise
Publicado: 01/11/2008 02:58  Atualizado: 01/11/2008 02:58
Colaborador
Usuário desde: 04/10/2007
Localidade: Indiara(GO)
Mensagens: 1460
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Open in new window



Querido amigo e ilustre poeta Flávio Silver.

Parabéns pela brilhante entrevista.Respostas muito
equilibradas nas quais mostrastes um pouco desta magnitude que é o teu trabalho como homem, poeta e músico.

Uma bagagem cultural que encerra uma genialidade, expressada em tuas produções. Um fundamentar poético instigante ao pensamento crítico social.

Não aceitando o que está posto, quer seguir adiante, e conseguindo mais e mais envolver seus amigos nesse sutil e gradual caminhar.

Seja muito feliz estou grata em poder compartilhar contigo, este momento importante.

Bjs

Ibernise


Enviado por Tópico
Alberto da fonseca
Publicado: 01/11/2008 04:13  Atualizado: 01/11/2008 04:13
Colaborador
Usuário desde: 01/12/2007
Localidade: Natural de Sacavém,residente em Les Vans sul da Ardéche França
Mensagens: 7091
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Excelente entrevista, Excelente artista das letras e da música, esta vertente não a conhecia.
Fiquei hoje a melhor conhecer o nosso Flávio
Escreve, publica, lê, comenta qundo tem que comentar corectamente, Flávio é um exemplo para todos.Irreverente sabedor.
Mais uma vez fico feliz, por saber que num local onde sou paquenino, tenho como companhia e amigo,
Um grande homem! um grande artista!
É bom ter a possibilidade de lermos estas entrevu«istas, aprendemos muio daquilo que as pessoas em realidade são e não por vezes o que se pensa, lá vai: com óculos é mais fácil de ver.

Parabéns Flávio, escreves-te o Sétimo Vão e hoje fiquei a conhecer o teu Sétimo Céu.
Abraço amigo
A. da fonseca


Enviado por Tópico
Luis F
Publicado: 01/11/2008 11:01  Atualizado: 01/11/2008 11:02
Colaborador
Usuário desde: 15/08/2007
Localidade: Alcochete
Mensagens: 1184
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Flavio

Sem dúvida uma grande escolha para Luso do mês, é muito merecida e na minha opinião peca por tardia.

Gosto muito de ler o teus poemas e textos.

Quero te dar os parabéns pela excelente entrevista, fiquei a conhecer-te um pouco mais.

Com um abraço amigo
Luis


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/11/2008 12:51  Atualizado: 01/11/2008 14:26
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
...

pronto;

agora que revelaste os segredos todos lá se foi o encanto; estou desapontado por isso.

sabes; eu sei que sabes; não te gramo à brava, mas aprecio-te bastante; embora ficasse melhor eu dizer; que te gramo à brava; mas isso fica reservado aos do costume.

um pastel de nata se faz favor!

ah! e já agora faz-me outro favor; continua a escrever, e a tocar acordeão ou outra gaita qualquer; que tu tens muito jeito para uma e outra coisa.

ah; e não te esqueças que toda a glória é efémera.

excepção feita; à minha prima glória que já dura há mais de cinquenta anos, ainda assim um dia irá perecer também.

um grande abraço.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/11/2008 13:10  Atualizado: 01/11/2008 13:10
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
CAro Flavio Silver, foi com grande prazer que li a entrevista, bem merecida! Pois bem, sempre acho que o poeta quando escreve deixa um pouco da alma, e seria assim reveladora, mas tbém acho que quando um poeta escreve se torna para si mesmo desvendador. Você escreve com alma e coração, e sendo musico tbém passa para as letras emoção e sensiblidade. Afinal duas excelentes combinações. Fico feliz q tenha indicado a Tânia, concordo com vc em relação ao que ela escreve, e fico tbém feliz em saber que não "sairá" do LP, pois temos aqui uma "oficina de aprendizagem". Pois bem te desejo sorte, sucesso e vitória na sua jornada! Abçs poéticos!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/11/2008 13:45  Atualizado: 01/11/2008 13:45
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Silver não Gold Flavio.
Pergunto-me a aonde vai buscar o comum dos mortais essa criatividade toda.
Uma escrita Surpreendente nunca se sabe o que vem a seguir.
Abraço!!!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/11/2008 17:56  Atualizado: 01/11/2008 17:58
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Querido Flávio,

.."pescador de terras e lavrador de mares", foi com grande satisfação que li sua entrevista e pude conhecer um pouco mais de ti.

Se me permite, desejo te dizer algo que senti aqui: antes mesmo de vc nascer neste Planeta Terra, vc já era um artísta em outra aldeia estelar. Provo com tuas palavras quando define a arte em ti:

" A arte tem e deve devolver às pessoas as suas capacidades mentais enquanto seres pensantes. É uma forma de comunicar com o mundo interior onde as regras e as leis são abolidas dos fundamentos impostos pela sociedade em geral,"

"A arte deve partir do inconsciente da pessoa como tentativa de rezar a um deus interior, como um ópio livre que transpõe barreiras. Na literatura a arte deve assumir o papel de agente imagético onde as coisas mudam de lugar sempre que o autor quiser, sem perguntar: posso entrar?"

Ora, ora Flávio a arte em ti transcende o sobrenatural e chega a se comunicar com os grandes artistas da humanidade. Acredite! Todos eles te inspiram, neste canal em que vc permeia todo o seu consciente e inconsciente.

Só quero te dizer algo, não poderia comer seus pastéis, estou de dieta

Desejo que todos os seus projetos sejam realizado e tragam-lhe bastante sorte e sucesso sempre em sua jornada por aqui!!

Obrigada Flávio por compartilhar conosco um pouco deste universo que é vc.

Obrigada Luso-Poemas, por esta ótima escolha.

Helen De Rose.


Enviado por Tópico
Henrique Pedro
Publicado: 01/11/2008 18:06  Atualizado: 01/11/2008 18:07
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2007
Localidade:
Mensagens: 3821
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Ao amigo Flávio, que recentemente tive o prazer de conhecer pessoalmente, aqui deixo o meu testemunho do maior apreço e amizade, certo que estou de que se trata de um poeta de raíz e de grande equilíbrio, como nos tem mostrado neste nobel espaço que é o Luso Poemas.

Um abraço da maior amizade.

Henrique Pedro


Enviado por Tópico
amandu
Publicado: 01/11/2008 19:34  Atualizado: 01/11/2008 19:34
Colaborador
Usuário desde: 24/03/2008
Localidade: LISBOA
Mensagens: 3651
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
PARABÉNS POIS NADA SE ALCANÇA DO MUNDO SEM SE CONSEGUIR NADA. E EMBORA NÃO O CONHEÇA E A MUITOS POIS A ISSO O DEVO TAMBÉM.
BOA MÚSICA PORTANTO TER LIDO A SUA ENTREVISTA DUAS VEZES E É ISSO QUE SUCEDE QUANDO SE É MÚSICO TAMBÉM. É SEMPRE INTERESSANTE TOCAR VER ESCREVER E FALAR. E É ISSO EM SI E NA OPORTUNIDADE DE TUDO.
UM ABRAÇO PARA A SUA PRESIDÊNCIA NA ASSOCIAÇÃO DE ARTE TAMBÉM E SEMPRE UM AMIGO.
AMANDU.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/11/2008 19:49  Atualizado: 01/11/2008 19:49
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Flávio,
Muito boa escolha para o destaque do mês!
Há muito esperava ver-te aqui. Fico feliz que tu estejas no lugar que mereces.Não tenho a dizer nada além o que já escrevi nos muitos comentários que fiz sobre tua verve em textos teus publicados no Luso.Foi bom conhecer um pouco mais do escritor, homem e pai de família.
Sucesso e felicidades!
Bjins, Betha.


Enviado por Tópico
Pedra Filosofal
Publicado: 02/11/2008 21:20  Atualizado: 02/11/2008 21:20
Colaborador
Usuário desde: 17/09/2007
Localidade: Barreiro
Mensagens: 1279
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Foi uma noite serena, de conversa amena. Assim como foi amena e musicada a tarde que passamos juntos em Vila Verde, depois de já te ter conhecido em Anadia. Em cada dia que passa a admiração pelo autor estende-se à amizade pela pessoa, que aqui se deixa conhecer mais um pouco.
E já que conheço a pessoa, a escrita e a música... fica a faltar conhecer os doces.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/11/2008 09:21  Atualizado: 03/11/2008 09:23
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Bom dia,

parabéns pela Poesia, Filosofia e Humor de Flávio Silver.

Gostei imenso da entrevista, e fico a conhecer mais a personalidade. Apreciei que é um amante da viola (também o sou, embora não passasse de dois ou três acordes e o de Fá sempre me foi uma dor de cabeça) e ser referido como o Dylan de Barcelos, se bem me lembro (vivo a estudar o universo da escrita de Dylan), tudo pormenores que destaco e que enriquecem a leitura que tenho feito com muito interesse da sua escrita, que dou realce ao poema do concurso da ... Noite, já o li por diversas vezes e o Cisne ganha cada vez mais vida.
Continue com a sua escrita, sempre a crescer.
E tem aqui mais um leitor.

Um grande abraço.


Enviado por Tópico
jaber
Publicado: 03/11/2008 09:53  Atualizado: 03/11/2008 09:53
Colaborador
Usuário desde: 24/07/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 2802
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Conheci-te antes de te conhecer...e gostei do que conheci...Posso dizer que sou teu amigo?


Um abraço Flávio


Enviado por Tópico
Tânia Mara Camargo
Publicado: 03/11/2008 21:47  Atualizado: 03/11/2008 21:47
Colaborador
Usuário desde: 11/09/2007
Localidade:
Mensagens: 4263
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Flávio você sabe que é um dos meus poetas
favoritos, desde que aqui cheguei já lhe
dei a estrelinha dourada, porque sou sincera,
gosto demais da sua escrita. Fiquei muito
emocionada pela escolha do Luso, você merece.
Foram justos com o seu trabalho e com a sua
pessoa. Gostei muito de saber mais sobre a sua
vida e de você um músico porque eu adoro música
e tenho por princípio que a poesia deve ter
música. A diferença entre ser por exemplo jornalista
e poeta está aí. Poeta escreve com ritmo, com melodia e já os jornalistas (uma classe que admiro) são mais fixados na realidade.
Agradeço pela citação do meu nome, mas amigo
eu nada acrescentaria ao Luso, sou uma rabiscadora de versos, sem formação o suficiente.
Escrevo mesmo por passatempo.
Parabéns e que sua carreira seja como agora, cad vez mais e mais promissora.
E como ser humano deixo a você meus respeitos,
continue sempre assim, sincero, feliz e (muito amor no seu caminho) Beijos!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/11/2008 22:10  Atualizado: 04/11/2008 22:10
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Admiro-te Flávio,
parabéns à grandeza da entrevista, do homem e do escritor.

Beijinho
Parabéns


Enviado por Tópico
cleo
Publicado: 06/11/2008 09:30  Atualizado: 06/11/2008 09:30
Luso de Ouro
Usuário desde: 02/03/2007
Localidade: Queluz
Mensagens: 3857
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Flávio
Já há uns dias que ando para te deixar algumas palavras a propósito deste teu mais que merecido destaque, mas sabes como é... sou um pouquinho desleixada.
Mas aqui estou eu, muito a tempo ainda, de dizer-te o quanto me agradou ver-te ali e o quanto me regalou ler a tua entrevista, tão diferente, tão especial em tudo
de todas as que tenho lido até aqui.
És realmente uma pessoa singular (surreal) e com imensos talentos, sendo o da escrita aquele que mais dá nas vistas neste meio e nesta casa.
Por tudo isso e por aquilo que não digo, por já ter sido dito e muito bem... os meus sinceros parabéns!

Um beijo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 06/11/2008 13:37  Atualizado: 06/11/2008 13:37
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Flávio Silver

Pelo que li acima, a homenagem é mais que merecida.

Meus parabéns

Ulysses (Brasil)


Enviado por Tópico
HorrorisCausa
Publicado: 08/11/2008 19:59  Atualizado: 08/11/2008 20:00
Colaborador
Usuário desde: 15/02/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 2699
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Que a tua escrita tem "riffs" hipnóticos já sabia, agora percebo porquê.

Boas viagens musicais e literárias

Beijo


Enviado por Tópico
rosamaria
Publicado: 08/11/2008 20:31  Atualizado: 09/11/2008 14:17
Colaborador
Usuário desde: 10/09/2006
Localidade: Mindelo - Vila do Conde
Mensagens: 1015
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Olá Flávio
Parabéns pela excelente entrevista. Já nos cruzamos pessoalmente em dois momentos, em Anadia e em Vila Verde e em ambos, gostei da tua forma de ser e de estar. A palavra é o teu dom, e a prova provada são os excelentes textos com que nos brindas.
um beijinho com carinho
Rosamaria


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/11/2008 23:16  Atualizado: 10/11/2008 15:40
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Claro!!! Flávio Silver!!! Antes para eu, só O Poeta, um amigo de além mar que sempre tive o prazer de ler e trocar alguns comentários. Agora não, tenho outras referências, e que! Isso fruto da leitura sem pressa que fiz da tua entrevista. Agora percebo porque eu o achava um cara diferente, especial, era esse teu abraço às muitas artes. Tai! Foi bom te conhecer mais amigo.
Merecido, pois a tua indicação.
Meu abraço fraterno e amigo. Desejo que tenhas caminho de luz, e sucesso sempre.
Silveira


Enviado por Tópico
Blackbird
Publicado: 09/11/2008 18:52  Atualizado: 09/11/2008 18:52
Super Participativo
Usuário desde: 11/07/2008
Localidade: Cacem
Mensagens: 142
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Não conheço o seu trabalho, espero vir a conhecer, mas por agora parabens pelo seu trabalho pois se esta como "cabeça de cartaz" do site neste mes, de certeza que o seu trabalho deve ser muito bom... Com os melhores cumprimentos: Blackbird


Enviado por Tópico
Julio Saraiva
Publicado: 10/11/2008 11:20  Atualizado: 10/11/2008 11:24
Colaborador
Usuário desde: 13/10/2007
Localidade: São Paulo- Brasil
Mensagens: 4206
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
meu querido flávio,

em meio a tantas confusões, em meio à minha saúde que andou abalada, só agora me dei conta da sua escolha para o luso do mês. desculpe-me por ter sido tão relapso. mas, de fato, não andei lá muito bem. creio que não é necessário falar da admiração que tenho pela sua escrita.talento é talento. mas acho necessário, sim, reiterar a gratidão que tenho por você, que foi quem me descobriu aqui neste espaço. de você recebi o primeiro comentário. de você só recebi palavras de incentivo e apoio. você, sempre tão amigo. queira, mais uma vez, desculpar minha falta. e aceite o meu abraço fraterno, daqui - do outro lado do oceano.

júlio saraiva


Enviado por Tópico
De Moura
Publicado: 10/11/2008 14:39  Atualizado: 10/11/2008 14:39
Colaborador
Usuário desde: 10/12/2007
Localidade: USA / NJ
Mensagens: 752
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Olá Flávio,
Já ando á dias para ler a tua entrevista, só ontem tive oportunidade de ler tudo,finalmente.
Que entrevista mais linda, tuas respostas com um toque em prosa, está demais.
Adorei saber um pouco da história e tua vida,por certo super activa. És um homem cheio de boas qualidades!
Te desejo o melhor, e que alcançes todos os teus objectivos pela tua vida fora.
Parabéns!!!
Um beijo com carinho, Alcina


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 12/11/2008 18:10  Atualizado: 12/11/2008 18:10
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Olá Flávio.
Sou cronicamente distraída, e apenas hoje me apercebi da escolha do poeta do mês.
Quero deixar-lhe um abraço e felicita-lo por esta distinção.
Com a leitura da sua entrevista ficamos com uma ideia mais clara da sua pessoa.
Um abraço e as maiores felicidades.
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/11/2008 20:30  Atualizado: 17/11/2008 20:30
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Olá Flávio,

A partir deste seu (merecido) destaque, tomei conhecimento dos seus maravilhosos textos.
Tem realmente muito talento e faz todo o sentido estar aqui.
Parabéns e um beijinho.


Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 19/11/2008 11:13  Atualizado: 19/11/2008 11:13
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Tu, que compões cantigas para o vento e lês livros para matar a fome, não sei se já sabes quem és...
Eu sei que és um grande Poeta, um grande Escritor e também um grande Homem, e é uma honra enorme poder ter o privilégio de te ler.
Vem aí um novo livro, que desejo que tenha o sucesso merecido.

Beijinhos e felicidades


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/11/2008 15:35  Atualizado: 28/11/2008 15:39
 Re: Novembro 2008 - Flávio Silver
Eu e o silêncio..
Eu e a ausência...

Enfim, chega do meu pérfido e egocêntrico "eu"!

Viro-me para ti e o que encontro?

Um homem que fervilha em boas ideias... parecem pipocas saltitantes do teu cérebro. Depois, és amante da música ..o que só por si já bastaria para te definir enquanto gajo porreiro. Irra... consegui elogiar alguém Tu mereces!

Quanto ao ano que aí vem, espero que os teus projectos "megalómanos" (sempre gostei de uma private joke) cheguem a bom humor... A propósito, quero ser o suicida

Abraço

Cristóvão Siano

Links patrocinados