https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

As Estepes Geladas da Minha Voz

 
Open in new window



As Estepes Geladas da Minha Voz

(Ano 2007, Painel em caneta de prata e ouro e cristais sobre tela acrílica preta, 60x60 cm, Colecção Particular)


XVI. As Estepes Geladas da Minha Voz

Não encontro mais paz agora,
na imensidão das planícies e estepes geladas da minha voz.
Quero gritar e dizer ao mundo da minha dor.
Falar do que me dilacera e mata lentamente,
como as drogas que são colocadas no meu corpo
e que aprisiono para te poder sentir.
Não sei do que falo,
pois a minha voz só pode ser vista e ouvida
na imensidão das montanhas longínquas,
Ecos do País do Frio e da Morte,
nas estepes geladas da minha voz.
Que morre então para além do corpo?
É minh´Alma feita dessa imensidão de liberdades,
sem prisões inventadas, fora de ilusões ou sem rumo.
Navego sempre que quero nos mares de sargaço dos meus sonhos.
E o azul dos céus
vem de noite beijar
a língua de areia junto das montanhas do teu corpo.
E os teus seios contam histórias de encantar
como aquelas que na minha infância
tanto desejei ouvir...
e agora anseio pelas mãos
que percorrem as orgias do meu corpo
e pelos corpos que junto ao meu querem habitar.
Mas nada mais escolho,
nem ninguém,
para além de ti,
que sempre te juntaste a mim,
nos campos elíseos dos novos sonhos
de grito e dor,
nas estepes geladas da minha voz.


 
Autor
jomasipe
Autor
 
Texto
Data
Leituras
926
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
10
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 15/01/2010 13:48  Atualizado: 15/01/2010 13:48
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: As Estepes Geladas da Minha Voz
"Que morre então para além do corpo?
É minh´Alma feita dessa imensidão de liberdades,
sem prisões inventadas, fora de ilusões ou sem rumo."

Por vezes é tudo o que sinto, meu amigo e no entanto...
nem sei porquê!
Lindo
Beijo
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
mim
Publicado: 15/01/2010 14:26  Atualizado: 15/01/2010 14:26
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2008
Localidade:
Mensagens: 2858
 Re: As Estepes Geladas da Minha Voz
Um grito uno maravilhoso de se ler!

Beijos


Enviado por Tópico
Moreno
Publicado: 15/01/2010 14:45  Atualizado: 15/01/2010 14:45
Colaborador
Usuário desde: 09/01/2009
Localidade:
Mensagens: 3486
 Re: As Estepes Geladas da Minha Voz
pelos vales ecoam os mistérios do murmúrio que teces às tuas palavras...

um abraço


Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 16/01/2010 10:00  Atualizado: 16/01/2010 10:00
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12084
 Re: As Estepes Geladas da Minha Voz
Existe neste poema uma voz que fala em lamento os frios do mundo em busca do calor antigo, aqule que sempre nos conforta.

Adorei (como já é habito) e esta foi a minha leitura, os teus poemas levam sempre a refletir profundamente com os olhos virados para o alto...


Beijos


Enviado por Tópico
ÔNIX
Publicado: 18/01/2010 09:16  Atualizado: 18/01/2010 09:16
Colaborador
Usuário desde: 08/09/2009
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2695
 Re: As Estepes Geladas da Minha Voz
Mais um poema daqueles que nos trazem sonhos muitos, para que no fim saibamos identificar-nos entre todos os que nos foram mais chegados.

Junto a ti tudo se transforma, até os teus gritos são acordes em tons baixos e serenos...


Beijo

Matilde D'Ônix