https://www.poetris.com/
 
Contos : 

A Morte da Poesia

 
Tags:  poema    poesia    conto    planeta  
 
A Morte da Poesia
by Betha M. Costa

Morreu a Poesia levando ao desespero o Poema, seu mais puro e belo representante na Terra.

De luto, os ventos destelharam céus, lançaram ao mar todas as estrelas e demais astros. Fez-se grande escuridão.

Os mares revoltados quiseram subir até as mais altas montanhas, mas tanta era a tristeza, que eles escavaram com suas águas as profundezas do planeta e lá se esconderam para que ninguém mais os apreciasse.

Como efeito dominó os vegetais retornaram ao seio da terra, os animais calaram-se e se abrigaram em tocas.

Os humanos ficaram com um imenso buraco no coração. Perdidos dos seus sentimentos, não conseguiam se expressar uns com os outros, por que as palavras perderem o alinhamento e suas vozes eram incapazes de propagar sons.

A Poesia linda e pálida estava solitária no seu esquife ornado de orquídeas roxas. O Poema em prantos - por saber ter perdido para sempre sua musa inspiradora – ajoelhou-se ao seu lado cheio de lamentos de paixão. De repente escutou bocejo longo:
- Huááááááá!...Confusa a Poesia se sentou no ataúde a perguntar o que acontecera.

Sem que ninguém dissesse palavra os mares saltaram verdes e azuis das entranhas do planeta e cuspiram de volta ao céu todos os corpos celestes.

Os campos se vestiram de verde, as flores coloriram e perfuraram seus espaços, enquanto as árvores entrelaçaram suas copas e os animais se espalharam como se estivessem no Jardim do Éden.

Os homens e mulheres soltaram vozes em canções e em tantos versos, que apenas naquele instante foi escrito uma quantidade inigualável de livros.

Assustado o Poema perguntou a sua amada:
- Ó bela, não estavas morta?

E recebeu como resposta:
- A Poesia nunca morre, pode ficar sonolenta e às vezes até dormir sono profundo por muitos dias, mas sempre voltará mais forte e inspiradora que antes!

 
Autor
Betha Mendonça
 
Texto
Data
Leituras
1284
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
30 pontos
20
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/02/2010 21:06  Atualizado: 19/02/2010 21:06
 Re: A Morte da Poesia
sou o inspector de homicidios vim prender a senhora por assasinato a poesia.

Tou a brincar a poesia como tu dizes nunca morre pode morrer o poeta mas as palavra ficam belo poema parabens continua.



Enviado por Tópico
eduardas
Publicado: 19/02/2010 21:28  Atualizado: 19/02/2010 21:29
Colaborador
Usuário desde: 19/10/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 3731
 Re: A Morte da Poesia p/Betha
Belo texto sobre...os poetas.

Podem dar murros mas a poesia nunca morrerá.

bj
Eduarda


Enviado por Tópico
arfemo
Publicado: 19/02/2010 21:47  Atualizado: 19/02/2010 21:47
Colaborador
Usuário desde: 19/04/2009
Localidade:
Mensagens: 4812
 Re: A Morte da Poesia
...já o mundo tinha acabado há muito tempo surgiu a notícia nos media, aparentemente insólita, da morte da poesia (se fosse antes, eu saberia!)-)

excelente Betha

bjins
arfemo


Enviado por Tópico
José-Rudá
Publicado: 20/02/2010 01:41  Atualizado: 20/02/2010 01:41
Da casa!
Usuário desde: 04/01/2009
Localidade: Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Mensagens: 262
 Re: A Morte da Poesia
Poesia, a bela adormecida.

Gostei, Betha. Adoro fantasias.

Beijo carinhoso,

Rudá


Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 20/02/2010 12:14  Atualizado: 20/02/2010 12:14
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: A Morte da Poesia
Betha,
gosto de tuas prosas com ares de fábulas! sempre uma lição ao final!
A poesia nunca morre!
beijo


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 20/02/2010 12:53  Atualizado: 20/02/2010 12:55
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: A Morte da Poesia
A tua prosa é sempre enriquecedora
e sugere que pensemos...
bj Betha e bom fim de semana!
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 20/02/2010 21:49  Atualizado: 20/02/2010 21:51
 Re: A Morte da Poesia
Pode morrer o poeta mas a poesia, essa é imortal.

Uma prosa poética impar.

este é para mim


Beijo azul


Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 21/02/2010 20:30  Atualizado: 21/02/2010 20:30
Colaborador
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 17658
 Re: A Morte da Poesia
Ufa! Que alívio!
Já basta entrar no velório errado e agora essa...
Me lembrou Romeu e Julieta.
Se a poesia morrer a vida se retira do planeta. bjs
Ah, sempre esqueço de dizer que gostei!


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 22/02/2010 23:55  Atualizado: 22/02/2010 23:55
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11172
 Re: A Morte da Poesia
Betha,
Uma verdade incontestável.
Ainda que queda e adormecida por algum tempo,a poesia sempre desponta no seu estado mais puro, agitando as mentes mais insensíveis.
Beijinhos na alma
Nanda


Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 23/02/2010 22:58  Atualizado: 23/02/2010 22:58
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: A Morte da Poesia
Lembrei-me de "Era uma vez" e "foram felizes para sempre", mas também me lembrei do meu poema "o milagre da poesia", que faz uma analogia similar mas com a vida de Cristo.

A Poesia é imortal, pelo seu encanto, pela libertação da alma e, consequentemente, do corpo.

Um abraçooo!
Abilio

PS: Que se passa com o Evaristo?