https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Surrealistas : 

Aman(a) /Chuva

 
Tags:  amar    corpo    chuva    mel    tembé    aman(a)  
 
*Poema escrito na língua indígena Tembé
traduzido para o portugués*



Aman(a) /Chuva
por Betha Mendonça

ibak ybaté/ chuva, céu alto
Potir anga eté ruru/ flor, alma, corpo molhado

Kó poti?a ruru/ neste peito molhado:
še potir/ eu flor
še anga/ eu alma
še eté/ eu corpo
še aman(a)/ eu chuva...

Ausúb mosyke eenmbaé/ amar, tirar o doce
Ekár enmbaé ?arõ eir/ procurar doce como mel
Eréb endé eir/ e lamber teu mel
Rem ené en eir/ se você derramar mel

Yane mokõyamam(a) esé een/ nós dois - chuva com sabor.



 
Autor
Betha Mendonça
 
Texto
Data
Leituras
590
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Mr.Sergius
Publicado: 05/09/2020 23:26  Atualizado: 05/09/2020 23:26
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2018
Localidade: Luxor (Egito) / काठमाडौं (Nepal)
Mensagens: 1625
Online!
 Re: Aman(a) /Chuva
Bonito e cheio de sensibilidade. Fruto de observações e da natureza. Grato por nos trazer esta visão dos povos indígenas e a ideia de construção de seus poemas...