https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Silêncio... Sombra... Água Fresca ...

 
Em silêncio...
Passar pelo fogo...
Quando só queremos sombra e água fresca...
Sair do fogo e entrar em uma tempestade...
Quando só precisava de sombra e água fresca...
Em silêncio prossigo.....
Por um momento vejo o exército com quem lutarei alguns momentos... (“a dor”)
Estão sentados do outro lado do vale...
Eles têm pão, sombra e água fresca...
(motivos para me diminuir, planos e meios de execução dos mesmos...)
Meu travesseiro se consiste nesta pedra... (amargura).
Minha alimentação é as migalhas de milho... (esperança)
Quanto risco eu corri, quantos gritos...
Por estas ultimas migalhas de milho...
Eu te sinto aqui...
Mas não posso te tocar...
Só tu podes mudar as regras...
É dono das regras...
Olhe observe como estou.
Meu corpo perece em feridas.
Minhas roupas sujas de sangue.
Meu olhar mudo, mudo pela dor.
Quantas vezes conversamos os sonhos, desejos, planos...
Não te escondi nada.
E mesmo que quisesse eu não conseguiria...
Seu jeito doce, meigo, eficaz de decifra, consolar...
A confiança que me passou...
Esqueci meus planos, abandonei-os, aceitei os seus,...
Já perdi a conta das guerras, nas quais passei...
As derrotas e as vitorias, todas levaram algo de mim...
Se ao menos as feridas curassem...
Eu não contestaria está batalha...
Se houvesse resposta...
Estou lutando porque Te Amo....
E porque tu disseste que se for vencedora e digna me darás o direito de reinar a
teu lado...
Prometesse-me a coroa...
E quero ter certeza de ao menos; terei um abraço...
Eu queria hoje te escutar...
Mas quando olho para minha condição...
Sei que não é possível...
Só sei, que não sei...
O Azul está Roxo...
O Amarelo Preto...
Do Verde, não restou nem as águas...
E eu não sei o que significo...
Qual é motivo de tanto Silêncio?
Porque as palavras, os atos, a saudade...
Na verdade nunca te disse nada...
É possível amar, sem olhar, proteger e defender...
Então como me amas?
Eu diria que em silêncio...
Eu não entendo + o seu amor...
Mesmo assim como uma ovelha...
Tenho te aceitado os caminhos, por onde tem me guiado...
E pela dor, pela guerra, pelo silêncio, pelo amor que me dedicas...
Obrigado...

T.Crisprimo


 
Autor
Crisprimo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2019
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.