https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

DEZ POEMETOS DE AMOR

 
Tags:  amor    paixão    desejo    Poemeto  
 
DEZ POEMETOS DE AMOR

- I -
Já que tenho de te doer
Seja eu o tigre implacável
Aquele que, beijando-te,
Espedaçará teu rosto,
Que, tomando-te,
Arrancará tuas tripas
E, amando-te,
Matar-te-á para teu gosto.

- II -
Suporta a crua mágoa
E os destemperos da minha carne
Bem sei, o que te salga
Provoca-te o mesmo alarde
Que minha derme calada amarga...
Afasta as intervenções da dor covarde
Alforria de vez o que te embarga!

- III -
Permiti-me olhar a mim
Como se tu mesma fizesses

E não me desejei por teus olhos
Não te deleitei por minha imagem
Nem mais quis fitar-me...
Enjeitei-me, em ti, regalar-te

Desacolho de pretender-me
Pelo fustigo dos olhos teus!
Tamanha a indiferença em ti
Pela fieza de não acarar-me...

- IV -
Apego-me à coragem constante
Para rejeitar, com arte, tua imagem...

...Queima-me os olhos de fogo selvagem
Flamejando-me deste sondar-te desconcertante!

- V -

A dor de amor se esgoela
Porque não se enxerga absurda
Desnudada, é empacada mula
Aos corações incultos
Que dispensam controlar
Os batimentos caducados
Deseducados pelos ritmos
Desses bestalhões apaixonados...
- À dor de amor não cabem algoritmos -

- VI -
O gosto dum beijo teu
Reascendeu à minha lôbrega boca
E teus lábios nem ancoravam os meus
Dei-me conta da desdita mouca

E uma recidiva lágrima salgada
Rasou minha face eremita,
Mareando a língua intacta
A velejar, lassa, a calmaria
Do oceano da tua falta...

- VII -
Passa ao largo do sono
Sai inconfidente ao luar
Despista-te do abandono
Ou a noite piche vai te pichar
Não possuis rumo ou dono
Arrumes um amor para amar
Que a lua paga-te abono

- VIII -
Tua ausência incorporou-se a mim
Desabrolhou carne do meu ventre
Doravante juntos em una viagem,
Vigora e arde, algoz, em posta ebuliente

Minhas íris fenderam-se à tua imagem
Ai, tua ausência a cavar-me crateras,
Picadas no matagal selvagem das feras
Por onde meus amores reagem

- IX -
Houve o tempo das palavras
Tempo dos gestos
Tempo das mágoas
Tempo dos inabaláveis sorrisos
Ao fim, houve o tempo
A servir de nada
Não. Não subverta o passado
Pelas vias da saudade, minha cara

- X -
Lembranças laceram-se em escaras
Feridas descansadas, perfeitas
Para pormos o dedo da saudade nelas
Fazer sangrá-las, sem a menos vê-las
: Quem clama por dor, esconde a cara


Gê Muniz

 
Autor
GeMuniz
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1546
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
20 pontos
12
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JBMendes
Publicado: 30/09/2010 19:47  Atualizado: 30/09/2010 19:47
Colaborador
Usuário desde: 13/02/2010
Localidade:
Mensagens: 5222
 Re: POEMETOS
Li seu longo "POEMETO" e apreciei a forma e conteúdo. Imapressiona-se a sua capacidade de se esparramarna poesia com essa facilidade.
Um abraço fraterno..
JBMendes


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 30/09/2010 21:01  Atualizado: 30/09/2010 21:01
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: DEZ POEMETOS
As lembranças às vezes magoam.A ausência, a quebra do encantamento, a saudade tudo torna a vida dolorosa.Mas a caminhada conjunta não é fácil,é preciso o empenho dos dois.Adorei teu poema de Amor, até tenho medo de te deixar mais palavras, não vá distorcer a beleza do mesmo.

Meu amigo sempre te leio, mas às vezes é bem difícil comentar-te escreves bem, mas bem...

Abraço Gê fica bem.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/09/2010 21:25  Atualizado: 30/09/2010 21:25
 Re: DEZ POEMETOS DE AMOR
Caramba amigo poeta querido!
Muits vezes fico a ler...a ler...e sinto-me pratyicamente incapaz de fazer um comentário à altura do texto!
Teu poemeto é maravilhoso! sem palavras!

beijos meus!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 30/09/2010 21:38  Atualizado: 30/09/2010 21:38
 Re: DEZ POEMETOS DE AMOR
Uau... lindos, lindos , lindos.Gê a imagem, que transcorre em cada poema é fantástica, parabéns adorei todos... Beijos querido amigo.


Enviado por Tópico
VónyFerreira
Publicado: 30/09/2010 21:42  Atualizado: 30/09/2010 21:42
Membro de honra
Usuário desde: 14/05/2008
Localidade: Leiria
Mensagens: 9702
 Re: DEZ POEMETOS DE AMOR
Muito bem Gê!
Permite-me que destaque este...

"Apego-me à coragem constante
Para rejeitar, com arte, tua imagem...

...Queima-me os olhos de fogo selvagem
Flamejando-me deste sondar-te desconcertante!"


Bj
Vóny Ferreira


Enviado por Tópico
Nitoviana
Publicado: 01/10/2010 23:31  Atualizado: 01/10/2010 23:31
Colaborador
Usuário desde: 10/04/2009
Localidade:
Mensagens: 648
 Re: DEZ POEMETOS DE AMOR
Li este teu escrito e li-me em parte do conteudo, porque a forma é a de cada um, e compreendi o sentimento subjacente! Fez-me lembrar um escrito meu feito há uns quatro anos a que te reporto, se tiveres paciência!

http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=81419

Um abraço