Poemas -> Esperança : 

Meu Querer!

 
Tags:  esperança  
 
Quando garatujo
Mil coisas num papel,
Fico nele presa…Não fujo!
É o meu sangue, é a minha pele!...
Crucificada, despida,
Em jeito de redenção,
As palavras são o grito
De um sofrer,
A expiação de um delito:
- o pecado de viver!
Viver! – andar dia após dia,
os anos a rolar,
numa sede de INFINITO,
sem nunca mitigar…
Numa fome de IDEAL,
lutando pelo BEM
e combatendo o MAL!...

Sou eu sim…meu coração
Reparto nesses vocábulos expressos
Em todas as frases dos meus versos!
E dou-me então numa ansiedade
De sempre MAIS e Melhor
Evocando uma saudade
Galvanizada de Amor!...

-Saudade do que não cheguei a ser…
-Amor por tudo o que conheço e queria conhecer! …

Daí, o desejar que os meus versos
Sejam espalhados,
Dispersos,
Pelos que trazem os olhos marejados,
Pelos que soluçam, inconformados,
Por todos vós, IRMÃOS,
Que adivinho ou que conheço,
E no meu dia a dia
Nunca esqueço!...

 
Autor
MCTAURINO
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1253
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 19/12/2010 22:23  Atualizado: 19/12/2010 22:23
 Re: Meu Querer!
Maravilhoso! Essa entrega total à folha de papel e a todos os que a lêem faz com que também nós fiquemos presos nos seus versos não desejando fugir. Obrigada pelo seu poema!
Célia Gil