https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Introspecção : 

POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA

 
Só me ocorrem rimas pobres sem sentido
Que falam de quase nada
Como me sinto perdido, desnorteado
Fico desesperado
Quero escrever e não penso em rima alguma
Não olho outra solução
Senão escrever sobre coisa nenhuma
Da poesia vejo a espuma
Que sobra da lavagem dos dias
Espuma suja das vidas lavadas
Pobres, algumas não rimadas
Como esta pobre poesia
Que fala de coisa nenhuma
Pode-se ler ao revés
Ou então de cima abaixo
Não vão encontrar nada que rima
Ainda que a leiam de baixo a cima
Fico mesmo sem jeito
Ao escrever esta enormidade
Ainda que seja verdade
E que lhe possa espremer a espuma
Este poema fala mesmo de verdade
De nada e de coisa nenhuma.
 
Autor
Raul Cordeiro
 
Texto
Data
Leituras
6377
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
31 pontos
15
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
marilda
Publicado: 12/10/2007 12:53  Atualizado: 12/10/2007 12:54
Super Participativo
Usuário desde: 02/10/2007
Localidade: Campinas /S.Paulo_Brasil
Mensagens: 119
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Poeta,creio que a poesia fala sim de muita coisa!Nesse momento de instrospecção,falou mais alto a sensibilidade em querer escrever algo que lhe faltava no momento em letras,mas sobrava em sentimento na alma.Obrigada...abraços...

Enviado por Tópico
Tânia Mara Camargo
Publicado: 12/10/2007 13:25  Atualizado: 12/10/2007 13:25
Colaborador
Usuário desde: 11/09/2007
Localidade:
Mensagens: 4246
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
ISTO EU AFIRMO É POESIA, NAQUILO QUE TEM DE MAIS SAGRADO. A ALMA DO POETA. aCHO QUE É UM CRIME,
QUANDO UM POETA DEIXA A INSPIRAÇAO PARTIR PARA
SER TÉCNICO, TIRA TODA A BELEZA DO POEMA. POR
ISTO MEU AMIGO, ISTO É POESIA, JÓIA RARA, CONTINUE ASSIM. BEIJOS!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/10/2007 16:29  Atualizado: 12/10/2007 16:29
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Excelente momento de poesia!!!

Beijo-sorriso

Enviado por Tópico
AndraValladares
Publicado: 12/10/2007 16:53  Atualizado: 12/10/2007 16:53
Participativo
Usuário desde: 23/04/2006
Localidade: Espírito Santo
Mensagens: 24
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Gostei do tema, muito criativo... é difícil quando não se tem nada em mente para escrever, mas você conseguiu transformar sua agonia em uma ótima poesia. Parabéns.

Enviado por Tópico
Edna Schneider Lemos
Publicado: 12/10/2007 17:04  Atualizado: 12/10/2007 17:04
Muito Participativo
Usuário desde: 13/06/2007
Localidade: Bahia
Mensagens: 79
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Muito Criativo este texto.Parabéns!

Enviado por Tópico
lucia machado
Publicado: 12/10/2007 17:14  Atualizado: 12/10/2007 17:14
Super Participativo
Usuário desde: 19/07/2007
Localidade:
Mensagens: 143
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
"...Este poema fala mesmo de verdade
De nada e de coisa nenhuma."

Desculpa, mas não concordo
Os teus poemas falam sempre de algo, do que vai na tua Alma...

Haverá coisa mais bonita?

Beijinho...gostei mt (como sempre)

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/10/2007 00:44  Atualizado: 13/10/2007 00:44
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Olá poeta Raul Cordeiro.
O seu poema possui uma idéia muito interessante no que concerne ao motivo poético. Ele é autobiográfico e metalinguístico, e reflete uma grande virtude de desenvolvimento de tema. Excelente oferta sua, vai para a sua antologia, abraços e saudações, Godi.

Enviado por Tópico
Dianinha
Publicado: 13/10/2007 08:45  Atualizado: 13/10/2007 08:45
Da casa!
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Porto
Mensagens: 327
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Ao contrario do título, este poema fala de muita coisa, fala de um estado de espirito, e por ser um reflexo de um estado de espirito, torna-se num rico e bonito poema...

Beijinho

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/10/2007 10:00  Atualizado: 13/10/2007 10:00
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
ESTIMADO COMPADRE POETA, SEUS POEMAS SÁO SEMPRE BELOS, HOJE TALVEZ ESTEJA UM POUCO ENTRISTECIDO, MAS MESMO DESSA FORMA SAIU UM LINDO POEMA.

Enviado por Tópico
q14
Publicado: 13/10/2007 10:31  Atualizado: 13/10/2007 10:31
Da casa!
Usuário desde: 02/10/2007
Localidade:
Mensagens: 247
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Houve quem valorisasse a arte pela arte. Nunca tinha visto a escrita pela escrita. Muito bem

Enviado por Tópico
PaulaMartins
Publicado: 13/10/2007 14:38  Atualizado: 13/10/2007 14:38
Da casa!
Usuário desde: 01/11/2006
Localidade: Setúbal
Mensagens: 273
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Em primeiro lugar, quero agradecer o comentário, ao meu Poema "No palco da Poesia", em segundo lugar o meu muito obrigado pela magnifica oferta que me deixou e que eu acabei de me deliciar ao lê-la, está lindo e falo por mim, pois encontrei tudo o que por vezes sinto, quando quero escrever e não me ocorre um tema, mas sim pensamentos que me embalam de tão musicados que são.
Por isso meu amigo, não pode dizer que esta é uma pobre poesia...eu encontrei-me quando a li.

Beijos

Enviado por Tópico
Juli Lima
Publicado: 13/10/2007 17:11  Atualizado: 13/10/2007 17:11
Colaborador
Usuário desde: 02/08/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 991
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Boa tarde!Reflexivo. Fez-me lembrar dos sonhos que muitas vezes nos parecem sem sentido, mas que são registros que emergem da alma, assim, pode um texto para quem escreve ter todo um contexto e nexo, e cabe a nós leitores decifrá-lo ou não. Bj poesia

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 13/10/2007 17:17  Atualizado: 13/10/2007 17:20
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
É reflexivo este poema.
As rimas soltas muitas vezes parecem nada dizer, mas acabam por demonstrar muito no seu interior.

Abraços.


Enviado por Tópico
Nanda_Vamp
Publicado: 25/01/2011 13:03  Atualizado: 25/01/2011 13:03
Colaborador
Usuário desde: 03/06/2010
Localidade: Brasil / Minas Gerais
Mensagens: 545
 Re: POESIA DO NADA E DE COISA NENHUMA
Como amei ler este poema! Tão bem escrito...
Sinto dessa forma às vezes... sem rimas, sem palavras, sem poemas!

Parabéns!

Abraços,

Nanda