Poemas : 

Confissões do tempo

 
Não.
Claramente não.
Por mais que queiras não consegues separar-me dos teus dias. Vi-te ontem quando cruzava os horizontes da minha passagem, quando cruzava montanhas e saudades tamanhas.
Vi-te armada de tuas bagagens á beira da estrada como se
esperasses as minhas viagens.
Cheirei inebriado as rosas do teu cabelo e desfiei o teu novelo de razões na minha teia de emoções.
Confesso…
Chorei…
Mas ri do meu choro e ouvi nas minhas lágrimas o nosso riso em coro
 
Autor
Raul Cordeiro
 
Texto
Data
Leituras
1623
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
3
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/12/2014 17:13  Atualizado: 17/12/2014 17:13
 Re: Confissões do tempo

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 17/12/2014 18:53  Atualizado: 17/12/2014 18:53
Membro de honra
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8560
 Re: Confissões do tempo
A tua poesia está entre as mais belas que tenho tido oportunidade de ler aqui na Luso. Céus, quanta inspiração! A delícia da leitura enche os olhos e a alma de lirismos...Parabéns!

Abraços!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 18/12/2014 09:59  Atualizado: 18/12/2014 09:59
 Re: Confissões do tempo