https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Matinal

 
Você há-de ver o meu nome,
Por sobre as notícias na tv, no rádio, nos jornais...
Que hão de quedar os teus olhos ao amanhecer,
E há-de se inquietar pela cozinha,
Até voltar ao quarto, E lá, há-de se deitar,
Por sobre a cama, a volver fotos, compulsar cartas,
E hás-de me encontrar na fresta de tuas lembranças
Que hão-de trazer o meu rosto, o meu beijo, o meu toque,
Os dias em que descansaste em meu peito.
Mas eu, eu não serei mais que uma lembrança amuada,
Mórbida, que como vento matinal sopra,
somente para que venha o sol...
E assim, em sua inércia há-de viver,
E tudo será como antes,
Fotos, cartas, poemas...
Serão as únicas testemunhas do amor que nasceu,
Pouco antes de tornar ao nada.


"Morremos gestantes da ansiedade que nada espera."

 
Autor
Junior A.
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2912
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
3
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 15/01/2012 02:15  Atualizado: 15/01/2012 02:15
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: Matinal
Há recordações que ficam para sempre, mesmo quando um grande amor termina...
Construíste uma história de amor/desamor com cabeça num bom poema!

Beijo

Enviado por Tópico
BerloquesImaginários
Publicado: 03/02/2012 09:37  Atualizado: 03/02/2012 09:37
Da casa!
Usuário desde: 19/07/2011
Localidade:
Mensagens: 241
 Re: Matinal
Não serão só as únicas...mas também!...doce amargo...


Berloques

Enviado por Tópico
BerloquesImaginários
Publicado: 03/02/2012 09:39  Atualizado: 03/02/2012 09:51
Da casa!
Usuário desde: 19/07/2011
Localidade:
Mensagens: 241
 Re: Matinal
Como isto duplicou o comentário
e não tenho forma de o apagar...mas sim do editar
(acho que foi de propósito para eu deixar mais alguma coisinha...já que digo tanto que quando comento gosto de dizer algo mais...)

então aqui vai:


pouco antes do Tudo que era Tanto
tão forte
tão inquietante
mas que me deixava viva e nunca distante

e hoje...o que me resta é esta saudade!!




Berloques