https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Saudade : 

O sítio da acácia

 
Tags:  saudade    envelhecer    acácia  
 

No lugar onde aprendi a dizer o teu nome
Abri um buraco fundo e plantei uma acácia,
Que cresceu até o infinito.

Vieram as aves em sucessivas primaveras
E fizeram ninhos quentes e macios
E criaram os filhotes,
Como se do alto daquela acácia florida
Fosse possível alcançar o céu.

Hoje, que o céu ficou plúmbeo,
Duma angústia com lágrimas de chuva
Nos olhos,
Já não me lembro que nome era o teu...
Sei apenas que a acácia está velha,
Como eu!


Em 19.dez.2011, pelas 23h00


Escrever é uma forma de estar vivo!
Paulo César

 
Autor
PauloCésar
 
Texto
Data
Leituras
3096
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
2
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 16/01/2012 10:35  Atualizado: 16/01/2012 10:35
 Re: O sítio da acácia
*Poeta...terno teu poema.
Gostei imenso das metáforas...mas ouso dizer: uma trajetória comum de vida, lado a lado, onde até esquecemos os próprios nomes, mas sabemos do Amor, essa trajetória me agrada...rsrsrs
Uma leitura pessoal do teu bonito poema.
Carinho e admiração
Karinna*

Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 16/01/2012 13:39  Atualizado: 16/01/2012 13:39
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: O sítio da acácia
As Primaveras passaram e deixaram nostalgia e sombras fantasmagóricas, ou as chagas
do inverno, na alma.
Já não me lembro...um belo poema, que bom foi
ler-te.

Abraço.