https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

17.

 




o anoitecer a desabotoar-se à ressonância dos teus passos sobre os degraus para o jardim. dos canteiros evola-se o perfume das flores e o céu a coalha de estrelas. o rutilar do azul precioso na água luminosa dos teus olhos e o amor a desabrochar à nudez dos nossos sorrisos.



 
Autor
Moreno
Autor
 
Texto
Data
Leituras
903
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 04/08/2012 21:43  Atualizado: 04/08/2012 21:43
Colaborador
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Fortaleza - Lisboa
Mensagens: 3687
 Re: 17.
"o rutilar do azul
na água luminosa dos teus olhos"
mas eu li este 17. assim :
"à nudez dos nossos olhos a desabrochar o amor dos teus olhos (no) rutilar do azul precioso na luminosa água evola-se o perfume das flores e o céu (nessa) coalha de estrelas à ressonância dos teus passos sobre degraus para o jardim, dos canteiros o anoitecer a desabotoar-se". Parabéns. Obrigado.

Abraço-te

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 04/08/2012 22:50  Atualizado: 04/08/2012 22:50
 Re: 17.
Uma mensagem cheia de tranquilidade poeta, necessária aos dias tão stressantes que se vivem.
Abraços
Luzia

Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 05/08/2012 09:51  Atualizado: 05/08/2012 09:51
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: 17.
A sensualidade dos corpos confundida na noite que começa. Gosto da mistura/fusão de imagens que sempre consegues!
Bj