https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

20.

 

como se no silente movimento dos meus dedos ainda lhes sentisse a maciez do toque dos teus cabelos por dentro da pele.
sentávamo-nos à vidraça de uma das portas e, como que pássaros, fazíamos o voo ao nosso largo, no amplexo do azul, sob o beijo do sol.
depois, o dissolver lento dos grãos de açúcar no creme intenso dos nossos cafés e o imergir para dentro dos teus olhos.


 
Autor
Moreno
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1000
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/08/2012 19:11  Atualizado: 01/08/2012 19:11
 Re: 20.
*Minh'alma sentou-se à janela do teu versar terno, suave e tocante.
Beijoka*