https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Tristeza : 

É deserto só por querer tanto...!

 
Tags:  corpo    deserto    seca  
 
É deserto
Na aridez do meu rosto
Na seca lágrima do meu olho
E no desidratado corpo que incorporo.

É deserto
No coração que possuo
Que bate ao ritmo do que eu digo
Mesmo que escolha palavras de erro.

É deserto
No caminho que escolho e atalho
Entre seiva e sangue de destino
Marcados nas minhas mãos desertas de afecto.

É deserto
Nas planícies e colinas
Do meu útero árido e seco
Onde sem chuva não se gera um filho.

É deserto só por querer tanto…!

 
Autor
Carla Costeira
 
Texto
Data
Leituras
1055
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
2
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AliceMatos
Publicado: 24/11/2007 19:37  Atualizado: 24/11/2007 19:40
Participativo
Usuário desde: 04/11/2007
Localidade:
Mensagens: 28
 Re: É deserto só por querer tanto...!
Muito lindo Carla... Ficou um nó no peito...
Um beijinho grande para ti...

Aqui te deixo uma imagem do meu Deserto...

Dentro de mim
um monótono vazio...
um nada indolente...
medíocre...
persiste
e domina um espaço que não é seu...
O meu espaço é de frio gélido e de calor abrasador...
não de mornidão estúpida e sem sentido!
Eu sou felicidade suprema...
ou dor atroz...
Não indiferença oca!
Pesam-me braços, pernas, olhos...
Adormecem os sentidos...
Esmorecem os sons...
Esfumam-se as cores...
O cinza é tão denso
que se torna palpável...
Apenas reage esta mão
que... forçada...
lança borrões de tinta...
numa caligrafia quase imperceptível...
E... não me encontro...
Não me reconheço neste deserto...
Perdi-me!
Nem a familiar tristeza,
nem a aconchegante felicidade,
nem o medo incontido...
Nada!
Só vazio...
só indiferença...
Procuro a emoção à flor da pele...
Encontro olhos perdidos
num infinito sem interesse...
Procuro a luta constante,
o batalhar,
o cruzar ventos e correntes...
Procuro... mas não encontro...
Quedo-me!
sem lágrimas... sem uma lágrima...
sem encontrar motivo!
Não... não sou eu!
Decididamente... não sou eu!