https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Infantis : 

As fadas, a jovem e o colibri

 
Tags:  amor    Deus    flores    encanto    fadas    Mãe Natureza  
 
Era uma vez, um florido, vasto e lindo jardim
Onde moravam borboletas, abelhas, fadas e colibris.
Tudo era alegria, um verdadeiro paraíso!
E havia uma menina que sabia de tudo isso.

Todos aguardavam a visita de Samira,
Que era gentil e uma verdadeira amiga.
Era uma festa a sua chegada!
Quem a recebia era a Rainha das fadas.

Samira era boa menina e gostava de ajudar.
As fadinhas traziam sementes para ela plantar
E, prontamente, Samira começava.
Ainda mais florido o jardim ficava!

Mas o tempo se passou e a menina se esqueceu
Daquele mágico jardim e de tudo o que lá viveu.
De menina, Samira tornou-se adulta.
E, gente grande, parece que tudo anula.

Mas as sementes que a menina havia plantado,
Cresceram com o amor e todo o cuidado
Que cada fadinha tinha.
Era uma forma de lembrar a doce menininha...

Até que um dia, perto dali,
Voava o mais belo colibri
Que, na verdade, era o príncipe encantado.
Ele estava a voar por todos os lados.

Foi quando uma fada o percebeu
E notou que era diferente de todos os do jardim.
Voou para perto dele e o recebeu
Dizendo: " Que também seja teu o nosso jardim!"

"Bela fadinha, pobre peregrino sou eu,
Um terrível encanto me aconteceu.
Tudo porque eu não dei real valor
A tudo o que o bom Deus me ofertou.

E, cego por minha ganância desenfreada,
Quis tornar-me feiticeiro para atrair muitas riquezas.
Foi quando, da Floresta Encantada,
Surgiu a Mãe Natureza.

Ela me disse que o meu anjo da guarda
Estava triste e cabisbaixo
E que, por causa das minhas faltas,
Eu o afastei do meu lado.

Dali por diante, eu deveria aprender uma lição.
Mas não dei ouvidos, lancei poderoso feitiço de minhas mãos.
E o feitiço se voltou contra mim,
Tornei-me um monstro terrível, de tão ruim.

Mas a Mãe Natureza, vendo o que aconteceu,
Pegou um pote com barro e o levou para Deus
E pediu que ele me moldasse outra vez,
Com um novo coração talvez...

'Visto sua grande maldade, o farei pequenino,
Pois precisa de humildade em seu caminho.
Nasceu príncipe, mas agora será um colibri
Até que reconheça que todo o poder pertence a Mim.

Somente o amor verdadeiro
Poderá transformá-lo ao que era.
Não sejas tolo, nem traiçoeiro,
Ou tornarás a ser a terrível fera.'

Prometi mudar e ser benevolente
Para ser príncipe novamente.
A Mãe Natureza muito me ajudou
E, até este jardim, me guiou.

Disse-me para encontrar a meiga donzela.
Diga-me, fadinha, se sabes quem é ela".

"Sim, eu sei quem é, majestoso colibri.
Mas, há tempos, ela desapareceu daqui.
Adulta tornou-se e nos esqueceu...
Mas o seu amor, entre nós, floresceu.

Aquelas lindas flores, foi ela quem plantou.
Tudo era belo e radiante... Até que nos deixou..."
Pobre fadinha, estava a chorar
De saudade da amiga que partira sem avisar...

Foi quando, de repente, uma moça surgiu.
Ela cantava, tristemente, " Meu coração se partiu
Por minha ingênua e doce ilusão
De acreditar numa dolorosa paixão".

"Samira voltou!", disse a Rainha das Fadas.
"E vejam só como está mudada!
Por onde andaste, meiga criança?
Por que nos tiraste de tua lembrança?".

"Querida Rainha, sofri por uma paixão,
Por um jovem que não correspondeu ao meu coração.
Ao fim, eu soube que se tornou feiticeiro
E, ainda assim, o busquei pelo mundo inteiro.

Mas agora que voltei, não sairei mais daqui.
Quero voltar a ser quem era, quero voltar a sorrir"
Nesse momento, o príncipe reconheceu seu erro,
Pois viu que o amor da jovem era verdadeiro.

Ele a rejeitou por ela viver na pobreza,
Pensava que ela fosse oportunista e interesseira.
Foi quando a fadinha pediu que Samira cuidasse do colibri
Que, de muito longe veio, e buscou abrigo ali.

Samira, sem de nada saber,
Acolheu o pequeno colibri em suas mãos.
Tamanha a ternura a envolver
O colibri e a linda jovem em um só coração!

Então, num suave aconchego,
Samira aproximou o colibri do coração.
Carinhosamente, deu-lhe o beijo
Que iniciou a maravilhosa transformação.

Então, arrependido por todo o mal que gerou,
O príncipe pediu perdão e ofertou seu amor
À linda jovem que, de seu egoísmo, o libertou.
E, para sempre, sua vida mudou.

Agora, naquele jardim, só há felicidade!
Nele, floresce o amor de verdade.
O príncipe e a princesa serão felizes pela eternidade.
E fadas e anjos afastam do jardim toda a maldade.

 
Autor
MCSCP
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1016
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
FalcãoSR
Publicado: 13/09/2012 05:47  Atualizado: 13/09/2012 05:47
Colaborador
Usuário desde: 30/06/2006
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 2785
 Re: As fadas, a jovem e o colibri
MCSCP


Mesmo navegando nesse site por tantos anos, sempre fico muito feliz quando encontro alguém, assim como você que escreve com muito talento e ternura.

Lembrei-me até de minha infância, quando meu saudoso pai dava como presente para minha única e querida irmã, livros com esse adorável conteúdo.



Sucesso e beijos poéticos