https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Poema casto

 
Tags:  poesia  
 
Poema casto

Baixo os olhos
porque ninguém me liga!
Leem-me,
erguem a voz,
mas agridem o silêncio da minha profundidade;
a leitura é só boia que os mantêm à superfície,
mas não me entendem!

Não quero ribombar na abóboda da indiferença.

Sim,
quando me leem o leitor só em si pensa
e fica satisfeito com palmas,
com muitas palmas,
mas eu,
eu sou um poema casto,
só quero alegrar as almas.

Prefiro ser lido …e entendido em
………recato,
e se não me erguerem
não me deitem ao chão,
não me ponham de rasto.

Eu sou um poema casto.
…………….xxxxxxxxxxxxxxxx………….
Autor: Silvino Figueiredo
Gondomar


Figas

 
Autor
Figas
Autor
 
Texto
Data
Leituras
721
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 28/10/2012 23:46  Atualizado: 28/10/2012 23:46
 Re: Poema casto
Parabéns.
Paz e luz, abraço luminoso.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/10/2012 01:55  Atualizado: 29/10/2012 01:55
 Re: Poema casto
Gostei do seu poema casto, Silvino!
... Prefiro ser lido e entendido em recato... Muito bom!
Bjo.

Enviado por Tópico
Sterea
Publicado: 07/11/2012 11:07  Atualizado: 07/11/2012 11:08
Colaborador
Usuário desde: 20/05/2008
Localidade: Porto
Mensagens: 3397
 Re: Poema casto
Há poemas sublimes
que nos escapam o contorno do olhar.
No Luso, como na Vida,
nem tudo nos é dado alcançar