Contos : 

Contos de Elevador VIII

 

Jesuíno era, quando menino, um espírito de porco. Já homem feito continuava sendo.
Com o tempo sossegou: disse que iria se amigar. Dito e feito.
Da amada ninguém sabia. Um misterioso prato para as fofoqueiras de plantão.
Moravam numa pocilga, mas ele estava feliz.
Assim foi um ano inteiro.
Em maio começou a beber e a reclamar da vida:
_ Ela está gorda demais... Acabo me separando.
Não deu outra.
Em outubro foi visto, porta aberta, manhãzinha...
Com vassouradas e berros, botando porta afora a sua porca Duroc.

 
Autor
Paula Baggio
 
Texto
Data
Leituras
801
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/12/2007 05:14  Atualizado: 01/12/2007 05:14
 Re: Contos de Elevador VIII
Olá, Paula!
Li os contos VI,VII, VII.Todos adoráveis do ponto de vista de criatividade, conteúdo e poder de síntese.
Eu sou fã de mini e micro contos.Parabéns!Bjins meus, Betha.