https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Recomeços

 
Luzes vivas e acessas, anoitecer preguiçoso
Horas em que o vazio me veste de poesia.
Vaga do instante, intervalo escuro e ocioso
Da noite fria quando o pensar em ti é magia

Lanço-me ao vento em direção ao caloroso
Cessando a solidão e o silêncio que escorria
Pela chuva a essência de um coração vultoso
Gigante na saudade do meu pulsar em agonia

Amargo vir a ser de um pranto calado e seco
Lamento das horas em que a vigília pelo cio
Cerra-me os olhos quando então eu adormeço

Pois amanheço e das lembranças não esqueço
Infinito começo de um amor em que o brio
Prólogo eterno de uma paixão em recomeço


Murilo Celani Servo

 
Autor
murilocs
Autor
 
Texto
Data
Leituras
519
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.