https://www.poetris.com/
 
Textos -> Natal : 

Afinal Era Natal

 
<a href=http://www.glitter-place.com><img src=http://dl10.glitter-graphics.net/pub/731/731190u4sl2bplxu.gif width=125 height=154 border=0></a<p align="center"><strong><em>Afinal Era Natal</em></strong></p>
<p align="center"><strong><em>Meninas e meninos no meio da rua</em></strong><br />
<strong><em>Brincando alegremente sem preocupação</em></strong><br />
<strong><em>Lá na zona sul em frente a sua mansão</em></strong><br />
<strong><em>Papai e mamãe lá no quentinho da sala</em></strong><br />
<strong><em>Ocupados com a véspera de Natal</em></strong><br />
<strong><em>Eles sabiam que lá estavam ocupados</em></strong><br />
<strong><em>Arrumando a árvore de Natal</em></strong><br />
<strong><em>Na brincadeira esqueceram as crianças lá fora</em></strong><br />
<strong><em>Beijaram-se e namoraram</em></strong><br />
<strong><em>Rolaram pelo tapete sem qualquer presente</em></strong><br />
<strong><em>Aliás, nesta hora nem se lembraram dos</em></strong><br />
<strong><em>Benditos presentes que estavam por entregar</em></strong><br />
<strong><em>Pensaram consigo ainda não será agora</em></strong><br />
<strong><em>O melhor é aproveitar enquanto não é hora</em></strong><br />
<strong><em>Foi bem mais natural do que esperar</em></strong><br />
<strong><em>Pelo abençoado Papai Noel</em></strong><br />
<strong><em>A noite começou a cair, a lua surgiu</em></strong><br />
<strong><em>À noite passando e nada do Papai Noel chegar</em></strong><br />
<strong><em>Todos já estavam cansados demais</em></strong><br />
<strong><em>Na ansiedade acabaram dormindo</em></strong><br />
<strong><em>Pois o Papai Noel nunca tem hora</em></strong><br />
<strong><em>Quando chegou ninguém acordado encontrou</em></strong><br />
<strong><em>Olhou pelo vidro e viu que todos dormiam</em></strong><br />
<strong><em>A porta da cozinha estava aberta... Entrou</em></strong><br />
<strong><em>Logo encontrou a mesa posta, não resistiu</em></strong><br />
<strong><em>Sentou-se e comeu tudo que tinha direito</em></strong><br />
<strong><em>Lambuzou-se pela barba toda</em></strong><br />
<strong><em>Afinal somente precisava retirá-la, pois</em></strong><br />
<strong><em>Não era natural era postiça, comprada na esquina</em></strong><br />
<strong><em>Numa loja de bugiganga que lá tinha</em></strong><br />
<strong><em>Comeu tanto que se esqueceu dos presentes</em></strong><br />
<strong><em>Até deu uma cochiladinha depois da barriga cheia</em></strong><br />
<strong><em>Deu um sobressalto com o canto do</em></strong><br />
<strong><em>Passarinho do Relógio Cuco anunciando a hora</em></strong><br />
<strong><em>Foi para a sala assustado</em></strong><br />
<strong><em>Lá estavam as crianças... Adormecidas... Coitadas!</em></strong><br />
<strong><em>Sonhavam com o Papai Noel que ali estava</em></strong><br />
<strong><em>Ele nem sequer imaginava, pois seu patrão</em></strong><br />
<strong><em>O pai das crianças o contratara para esta noite</em></strong><br />
<strong><em>Ele nunca trabalhara de Papai Noel</em></strong><br />
<strong><em>Como ninguém o estava vendo resolveu no impulso</em></strong><br />
<strong><em>Pegar os presentes que estavam na árvore e sair</em></strong><br />
<strong><em>Foi para casa e deu para seus filhos afinal era Natal</em></strong><br />
<strong><em>Ele não teve nem mesmo o 13° salário</em></strong><br />
<strong><em>Não tinha comprado nada para eles</em></strong><br />
<strong><em>Passou o Natal...</em></strong><br />
<strong><em>Foi para a Empresa e até esquecera</em></strong><br />
<strong><em>Que lá estava seu patrão, mas não importava não</em></strong><br />
<strong><em>Logo que entrou foi chamado por ele</em></strong><br />
<strong><em>Que raivoso lhe falou...</em></strong><br />
<strong><em>Meus filhos ficaram sem os presentes de Natal</em></strong><br />
<strong><em>O que aconteceu afinal... Juvenal?</em></strong><br />
<strong><em>Bom meu patrão não sei não, mas os meus filhos</em></strong><br />
<strong><em>Não ficaram sem presente não</em></strong><br />
<strong><em>Como os meus ficaram e os teus não?</em></strong><br />
<strong><em>Ora patrão como não me pagou resolvi</em></strong><br />
<strong><em>Pegar os seus presentes e dar a eles afinal era Natal</em></strong><br />
<strong><em>E quando olhei para os seus filhos não consegui</em></strong><br />
<strong><em>Ver diferença nenhuma, pois apenas vi crianças</em></strong><br />
<strong><em>No próximo ano não esqueça pague o 13° salário</em></strong><br />
<strong><em>Assim todos ficarão felizes no Natal</em></strong></p>
<p align="center"><strong><em>&nbsp;</em></strong></p>
<p align="center"><strong><em>&nbsp;</em></strong></p>
<p align="center"><strong>&nbsp;</strong></p>
Open in new window


Open in new window
Obras registradas na Biblioteca Nacional
e protegida pela Lei 9610 de 19/02/1998
http://sabordapoesia.blogspot.com/
https://twit...

 
Autor
ângelaLugo
 
Texto
Data
Leituras
3212
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Adriano Saraiva
Publicado: 11/12/2007 12:03  Atualizado: 11/12/2007 12:03
Da casa!
Usuário desde: 17/05/2007
Localidade: Brasil
Mensagens: 204
 Re: Afinal Era Natal
Mensagem séria narrada de uma maneira descontraída, muito bom... pena que algumas crianças ficaram sem natal, afinal elas não tiveram culpa pelo que o pai fez.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/12/2007 03:21  Atualizado: 12/12/2007 03:21
 Re: Afinal Era Natal
BOA LIÇÃO DE MORAL AO PATRÃO, AFINAL ERAM TODAS CRINAÇAS E NO NATAL NÃO SE DESTINGUEM OS RICOS DOS POBRES.
LINDO PRESENTE AMIGA
Open in new window