https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Vestiu-se

 
Vestiu-se de tempo

primeiro a saia

depois o linho de que são feitas as esperas



Vestiu-se praia

uma nesga de gaivota num canto de olho



Vestiu-se de maré, de barco, de espuma

de cais de chegada



Vestiu-se liláses, de lázaros, de pássaros



Vestiu-se de vidro, nem cristal nem areia

solfejo de peito de angina de sonho



Vestiu-se das peles dos animais

das alças tristes das árvores, das calçadas



Vestiu-se negro quase branco, num desespero nobre

numa espécie de arcanjo surdo



Vestiu-se nos alardes dos cães

nos tiros directos ao coração



Não lhe restava alternativa:

-Despir-se e recomeçar tudo


O meu verdadeiro nome é José Ilídio Torres. É com ele que assino os meus livros.
Já publiquei 10 obras em géneros diversos: crónica, romance, conto e poesia.
Foi em 2007, aqui no Luso, que mostrei pela primeira vez.

 
Autor
SilvaRamos
 
Texto
Data
Leituras
500
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.