https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Parangoletras

 
Eu não faço relógio de abóbora nem anel de minhoca, sou cheio de brevidades. Meu pai, minha mãe, meus irmãos, minha tribo, somos as últimas peças originais dessa terra, daí a beleza desse nosso enredo com a vida, sem deixar pra trás nem sombra de lamento. O sol a nos proteger e a lua a embalar. Ainda que findos sempre seremos na guarda dessa terra, e quando ela chorar, orvalhando os campos onde não mais estaremos, á de vir o tempo da nossa rebrota.


,,,mas Deus gosta de ser assim também, na forma de Eu!

 
Autor
joakencor
Autor
 
Texto
Data
Leituras
337
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.