https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Surrealistas : 

como um voo

 
Tags:  prazer    fome    visão    pássaro    APETITE  
 
movem-se
desapressadas
asas langorosas
fazendo
vem cá!
pros meus
famintos olhos

dispostas em prato azul
plumas iridescentes
instigam a captura
dos desenvoltos
movimentos

para as planuras
coloridas
da minha adorável
e saborosa
refeição,
lambo os beiços

e faço repetiçao


O que, às paredes, confesso.

 
Autor
MarySSantos
 
Texto
Data
Leituras
1065
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
22 pontos
9
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Odairjsilva
Publicado: 07/04/2014 19:39  Atualizado: 07/04/2014 19:39
Membro de honra
Usuário desde: 18/06/2010
Localidade: Cáceres, MT
Mensagens: 2795
 Re: como um voo
Oi amiga, mais um belo poema. Bem surrealista. Gostei muito.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 07/04/2014 21:01  Atualizado: 07/04/2014 21:01
 Re: como um voo
*Fico sempre rendida ao encantamento das tuas imagens poéticas!
Um dom que me faz voar.
Beijoka*


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 07/04/2014 22:44  Atualizado: 07/04/2014 22:44
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9306
 Re: como um voo
Boa noite mary, quando o fardo da realidade, nos sucumbi, resta-nos viver das imaginações férteis, um forte abraço, MJ.


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/04/2014 13:29  Atualizado: 08/04/2014 13:29
 Re: como um voo
Poetisa,

Encantada com as tuas belas palavras!

Parabéns pela linda inspiração!

Adorei!

Beijos,

Anggela


Enviado por Tópico
Jovina
Publicado: 09/04/2014 14:22  Atualizado: 09/04/2014 14:22
Colaborador
Usuário desde: 23/09/2012
Localidade: Salvador
Mensagens: 538
 Re: como um voo
É sempre um prazer ler seus poemas.
O que mais aprecio é sua capacidade
de criar imagens lindas a partir de
fatos simples do cotidiano. Você
consegue dar valor estético para
a linguagem que ouvimos nas ruas
saindo das bocas comuns.Considero
isso um desafio para a poesia contemporânea.
Parabéns.
Jovina