https://www.poetris.com/

 
(1) 2 3 4 ... 6 »
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
Antíteses II
Antíteses II Eu sou como um guardião que dorme Um menestrel que não canta a poesia Um gato que n...
Enviado por João Marino Delize
em 23/08/2019 21:30:00
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
Miados
Miados Quando já era bem de madrugada Ouvi um gato que passava miando Subia e descia em cima da ...
Enviado por João Marino Delize
em 18/07/2019 15:45:55
Textos deste autor
Offline
HelderOliveira
O Mendigo
O Mendigo Uma mão aberta Num braço estendido; Um braço estendido Num corpo parado; Um corpo p...
Enviado por HelderOliveira
em 21/10/2018 15:35:55
Textos deste autor
Offline
Alberto da fonseca
CRIANÇAS QUE VIVEM NO NADA
Quando passo nas ruas da cidade Vejo essas crianças perdidas Muito longe da felicidade E muito ma...
Enviado por Alberto da fonseca
em 24/09/2018 19:59:32
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
Desigualdade
Desigualdade Saiba que um por cento entre os mais ricos Tem mais posse que o resto da populaç...
Enviado por João Marino Delize
em 22/01/2018 12:41:09
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
E agora?
E agora? Agora eu vou enrolar, mas não vou acender Agora eu pretendo engatilhar, mas não atira...
Enviado por João Marino Delize
em 05/02/2017 13:41:27
Textos deste autor
Offline
Dr.Azágua
A Cidade Necrópole
A Cidade Necrópole By Dr. Azágua Uma autêntica favela Pintada de lama aguarela. Cozinha sem pa...
Enviado por Dr.Azágua
em 10/01/2017 19:41:39
Textos deste autor
Offline
enidesantos
A fome de tua ternura
A fome que há em tua ternura Navega vagarosamente Pela distância que há Entre o meu e o teu ol...
Enviado por enidesantos
em 04/01/2017 13:14:05
Textos deste autor
Offline
Ruinav
Dificuldade (II)
Estatísticas de 2015 dizem que morrem no mundo 8.500 crianças por dia, por dia, leram bem, de fom...
Enviado por Ruinav
em 08/07/2016 10:21:55
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
Nordestino
Nordestino O nordestino lá do sertão Que a seca sempre maltrata Planta só milho e feijão E s...
Enviado por João Marino Delize
em 16/04/2016 15:04:00
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
Ganância
Ganância Tem quem se alegra aqui nesta terra Por ter comida e uma casa pra morar Há quem na vi...
Enviado por João Marino Delize
em 22/02/2016 13:56:24
Textos deste autor
Offline
francyodias
TRISTE ALENTO
TRISTE ALENTO Pai, quando os meus pés Não mais levantarem poeira Neste árido chão E minha...
Enviado por francyodias
em 03/02/2016 22:43:05
Textos deste autor
Offline
Conceição Bernardino
Aromas capitalistas
Sou eu o teu papel, Que te incita e te outorga Sulcando a ondulação do espaço No fértil movi...
em 29/11/2015 00:55:19
Textos deste autor
Offline
enidesantos
Na ponta da língual
Estava na ponta da língua A palavra que iria te intitular Mas um pensamento indecente Apossou-se ...
Enviado por enidesantos
em 31/07/2015 22:44:22
Textos deste autor
Offline
MariaSousa
Migalhas
São pérolas de brilho cristalino As lágrimas que te sinto chorar, Mulher que seguras o teu menino...
Enviado por MariaSousa
em 27/07/2015 17:45:52
Textos deste autor
Offline
João Marino Delize
Conformismo
Conformismo Este mundo é uma enorme bola Que gira sempre e não vai parar Onde muitos vivem de...
Enviado por João Marino Delize
em 28/06/2015 14:32:12
Textos deste autor
Offline
Angy
Fome
Por vezes as mãos pintam a fome do corpo
Enviado por Angy
em 27/06/2015 23:39:23
Textos deste autor
Offline
P03tiza
PROCURA-SE!!
PROCURA-SE!! Por entre o QUIS fazer, mas não FIZ; quis DIZER, mas calei-me. Por entre todas as ...
Enviado por P03tiza
em 09/03/2015 03:42:27
Textos deste autor
Offline
enidesantos
E esta fome não sacia
Sente não ter direito Ao menos a lagrimejar Condenando-se pelos erros Que em sua vida ousa caus...
Enviado por enidesantos
em 04/02/2015 22:07:56
Textos deste autor
Offline
Conceição Bernardino
a fome bateu-lhe à porta ruidosamente
a morte saiu à rua vestida de branco nas asas de um albatroz de bico silente amputado pelas gu...
em 12/09/2014 12:00:12
(1) 2 3 4 ... 6 »