https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Surrealistas : 

não canso de acalmar o ventre das palavras

 

lançam chamas
palavras
mesmo quando lançados ventos bravios
das trevas que beiram margens

noturnas vozes
dilaceram o tempo
que se posta
para sossegar a tempestade
que deixastes nas nervuras dos lençóis...que sempre acolhe
meu areal lunar amontoado num rompante
... quando a deusa
cheia de prata e ilusão
caminhou afrodisíaca.

em negrito,
gritos disparam dos
cantos das lembranças

[marcas sobreviventes de vendavais]

mas...

um mar branco vibra
a dor da carência
e alimentos tremem
em querer satisfazer
e não canso de acalmar o ventre das palavras,
sossegando-as para não partirem em direção
do pulsar frenético das lonas madrugais
que delineiam teu olhar profundo
distante

passos ébrios
dos versos não retenho

porque

nada se empareda
para escorar um arranhão
que não seja
feito de saudade.





nada muito complicado... como atirar pedras em lagos

 
Autor
MarySSantos
 
Texto
Data
Leituras
1302
Favoritos
3
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
57 pontos
13
10
3
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/10/2014 19:43  Atualizado: 14/10/2014 19:43
 Re: não canso de acalmar pelo ventre as palavras
poemas assim dão qualidade a este sítio. parabéns, Maria.


Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 14/10/2014 20:52  Atualizado: 14/10/2014 20:52
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6808
 Re: não canso de acalmar pelo ventre as palavras
Olá MarySSantos,

És ai,uma obra de arte!

Parabéns!!

Abraços,
Mary Jun


Enviado por Tópico
murilocs
Publicado: 14/10/2014 22:09  Atualizado: 14/10/2014 22:09
Da casa!
Usuário desde: 30/03/2012
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 215
 Re: não canso de acalmar pelo ventre as palavras
Poetisa, lindo poema.
Muito bem cadenciado.
Parabéns.

Bjs


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 14/10/2014 23:22  Atualizado: 14/10/2014 23:22
 Re: não canso de acalmar pelo ventre as palavras
Lançam se dos ventos, os bravios ventres ébrios, que se bebem nos lençóis de uma intensa saudade dilacerando as madrugadas em amor.


Enviado por Tópico
MaryFioratti
Publicado: 15/10/2014 01:16  Atualizado: 15/10/2014 01:16
Colaborador
Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 2420
 Re: não canso de acalmar pelo ventre as palavras
Bonito Mary, como tudo que voce escreve.
Um poema construido com certo sofrimento
e essa saudade tao constant na vida de
todos nos.
Quantas vozes ja sobreviveram aos meus
vendavais...

Um beijo carinhoso a voce

*Mary Fioratti*


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/10/2014 21:02  Atualizado: 15/10/2014 21:02
 Re: não canso de acalmar pelo ventre as palavras
Um tema nostálgico Mary, por isso belo e bem conseguido.
bj


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/08/2016 16:53  Atualizado: 05/08/2016 16:53
 Re: não canso de acalmar o ventre das palavras
Gostei da leitura.
PG