https://www.poetris.com/
 
Textos -> Outros : 

Percepção, pensamento e discurso sobre a realidade

 
Tags:  pensamento    realidade    discurso    percepção  
 

O cérebro não nos engana, nem nós enganamos o nosso cérebro.
Como é que isso poderia ser?

Não se faça confusão entre ideia de realidade e percepção da realidade. Desde sempre o homem teve necessidade de filosofias e de religiões para "explicar" a realidade percepcionada.

É patente a diferença entre o que percepcionamos, com os sentidos, e a ideia que fazemos ou podemos fazer daquilo que percepcionamos, mas isso não significa que percepcionamos de modo errado. Pode haver distorção na percepção, por ex., por anomalia ou distúrbio dos sentidos, mas isso não é engano.
Por outro lado, depois de conhecermos a física de partículas continuamos a percepcionar a pedra, com os nossos olhos e ouvidos e mãos, como percepcionávamos antes. A tua mão percepciona igualmente os átomos da pedra, antes e depois de saberes qual é a sua estrutura atómica. O mesmo se diga quanto ao sol girar à volta da terra...

Em geral, as tuas percepções das coisas não se alteram porque se alterou o teu conhecimento acerca delas.
Nisto o cérebro funciona como tem de funcionar, ou não funciona, mas isso é outra questão.

Ser induzido em erro também ocorre com frequência, mas diria que o erro é da ordem das ideias e dos juízos e não das percepções.
Daí que também seja frequente as nossas ideias e juízos e cálculos sobre a realidade reclamarem ou exigirem percepções que não temos e que procuramos, supondo que há coisas que deviam ou devem estar lá, algures. É o que imagino que acontece muito na quântica, embora aqui, na falta de percepções diretas, se procurem deteções indiretas...
Procurei restringir o conceito de percepção ao do contacto dos sentidos com o exterior.
O que enfatizo é que o mapeamento cerebral desse contacto, a representação mental desse contacto, o pensamento gerado, estão noutro plano do processo.

Por sua vez, tudo o que a pessoa possa exprimir, comunicar, sobre isso, já é também algo diferente.
Apesar da simplificação, ilustra a complexidade do processo de acesso à realidade.

Podemos perguntar: qual é o nosso acesso à realidade? É um acesso adequado a quê? A sentí-la? A fruí-la? A compreendê-la? A conhecê-la? A explicá-la?
É que, antes de analisarmos a realidade, temos o problema do acesso à mesma e o problema da linguagem e da representação e vice-versa. Realidade não é o mesmo que noção de realidade.
Depois há a questão de quem administra a verdade sobre a verdadeira realidade.
A realidade não é um dado.

Aliás, pensando bem, a realidade disponível não é toda a realidade, mas a que resta. Se me faço entender, a realidade disponível é algo que fica no fim de um processo imenso de factos indisponíveis.






 
Autor
Carlos Ricardo
 
Texto
Data
Leituras
759
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 08/12/2014 20:52  Atualizado: 08/12/2014 20:52
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Percepção, pensamento e discurso sobre a realidade
OLá Carlos Ricardo, gostei do teu texto.
Estive pensando nos avanços que a Neurociência vem realizando, investigando a misteriosa transmissão de impulsos elétricos entre os neurônios.
Sabe-se que a percepção humana faz parte do complexo mente e cérebro. Como sou bem leiga no assunto , penso que o homem é a sua vida mental, e que nossa percepção não identifica a realidade como ela é, afinal mudanças, transformações em nossos orgãos dos sentidos permitem ou inibem o reconhecimento da realidade ...

Parabéns !

Abraços!!