Sonetos : 

The eye of the hurricane

 
I thought I could hide this pain
With a sweet candy of mint,
But I can no longer sustain
This happyness long extinct.

No directions and no hint,
Just confusion in the brain.
No bridge to make the link!
No strength to break the chain!

Little things shall remain!
The ones picked by instinct
From the eye of the hurricane.

And a bottle of absinthe,
Meant to keep me sane
On those days I feel distinct.


"Even though i walk through the valley of the shadow of death, i will fear no evil..."

 
Autor
Leugimiur
Autor
 
Texto
Data
Leituras
821
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
13 pontos
1
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Alemtagus
Publicado: 27/12/2022 21:51  Atualizado: 27/12/2022 21:51
Membro de honra
Usuário desde: 24/12/2006
Localidade: Montemor-o-Novo
Mensagens: 3182
 Re: The eye of the hurricane
Acho luxuoso o uso que dá à rima, mas pouco colorido o seu valor impregnado no texto. Esta rima a preto e branco, por ser repetitiva tira musicalidade ao soneto, nas quadras deveria variar as terminações. Sei que não é fácil variar as rimas em inglês por seer uma língua muito fechada e limitada em termos gramaticais e léxicos, mas merece a pena tentar.