https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Dedicatória : 

Jardim de Amália

 
Jardim de Amália
 
Há espaços encantados
que nos toldam os sentidos!
Espaços de memória
onde a glória d'outros tempos
ainda nos invade.
Impasses de silêncio
que se curvam ao destino,
que escorrem solidão.
Saudade de uma mistica presença!
Amália! Amália!
Uma voz dorida e quente.
Um fado! Um fado!
Jardim de loucura
que é dolência sem razão
qu'invade o corpo de quem chega!
E o Sol de Amália é mais quente ...
O Céu mais doce ...
O Ar mais Vida ...
O chão mais terra ...
E há um Espirito que paira.
E uma espera que se sente.
E um impasse que nos fala.
E num impulso que nos toca,
eis Amália! Eis Amália! ...

Ricardo Maria Louro

No Jardim da Casa de Amália Rodrigues na rua de S. Bento em Lisboa. Hoje sede da Fundação Amália Rodrigues...






Ser Poeta é exilio
num pais de condenados
um tormento infinito
de mil olhos rejeitados!

Ricardo Maria Louro

 
Autor
Ricky
Autor
 
Texto
Data
Leituras
382
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/01/2016 18:09  Atualizado: 09/01/2016 18:09
 Re: Jardim de Amália
Bela homenagem!