https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Sociais : 

O Rio

 
O rio leva cacos de louça,
bonecas sem braços, bolas
de plástico, olhos de vidro,
árvores sem flores.

O rio passa morto...

Renasce no cheiro das folhas,
no lodo das pedras, no olhar
dos peixes e na canção,
à margem dos homens.


O amor movimenta-se. Poemas em ondas escrevem nas águas.

 
Autor
RaipoetaLonato2010
 
Texto
Data
Leituras
304
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
7 pontos
3
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
saraabreu
Publicado: 12/12/2015 18:55  Atualizado: 12/12/2015 18:55
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2014
Localidade:
Mensagens: 2423
 Re: O Rio
Olá poeta amigo
O poeta é assim, nasce, morre e em vice versa também o estado da alma é que vai mandar...

E "O Rio" o rio vai sempre correndo em direção ao mar e lá descansa ou revolta-se conforme o estado do tempo...

Belo e bem conseguido Raimundo.
Saudades de te ler também.
bj


Enviado por Tópico
martims
Publicado: 15/12/2015 11:28  Atualizado: 15/12/2015 11:28
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6797
 Re: O Rio
Rios que se desaguam nas imensidões, indo pelos seu leitos a procura solidamente de algo que esta nos olhos do instinto do homem para que seu ser cuida das águas com vivencia, sabedoria, e prazer, pois cuidando de nosso habitar estamos prolongando o nosso viver.