https://www.poetris.com/
 
Textos -> Crítica : 

zé e João

 


Oi Zé!
Oi João!
Eu ontem fui ao Bar e não encontrei você João, Você não foi por quê?
Eu não estava disposto e fui dormi sedo. Mas eu assisti um documentário na TV sobre as doenças que matam mais.
Me diga quais são estas doenças
Zé, falaram de muitas: diabetes, doenças do Coração, AVC e outras.
Só não falaram da doença que mata mais mesmo, ela é a primeira, porém...
Interrompendo você Zé, eu acho que falaram de todas, mas, me diga qual é essa doença que foi esquecida?
A CULTURA
O que Zé!? O que é que tem a cultura com doenças? Não acha um absurdo o que você está me dizendo?
Não! Não estou! E posso lhe mostrar que o que digo não é nenhum absurdo. Muito pelo contrário é uma visão racional.
Prove Zé, que este absurdo é uma visão racional?
João esta cultura que dizemos que é nossa, ela está cheia de vícios e de valorizações de coisas erradas, crendices e de mau hábito.
Como assim Zé?
Pra começar João, beber, fumar, festas de rua, barzinhos, comidas regionais e industrializadas e vai por aí... coisas que dizem que fazem parte da nossa cultura.
Assim Zé Carnaval, festas de fim de ano e São João são prejudiciais.
É sim senhor. Induzem a extravagância e só servem para produzirem uma falsa imagem da vida.
É mesmo Zé enlouquece as pessoas
Claro os efeitos da cultura não são percebidos, mas, além de matar eles enlouquecem. Criam dependência e o doente se torna dependente de uma cultura que o prejudica.

Mais Zé e elas, as pessoas, não percebe que estão erradas ?
Claro que não João, elas estão enlouquecidas e não percebem o erro. Veja bem!
É proibido saltar balão, pois pode causar incêndios. É proibido fazer fogueira, pois polui o meio-ambiente e destrói as matas.
Mesmo sabendo destes avisos os loucos soltam balão e fazem fogueiras, estão contaminados por esta doença que é conhecida pelo nome de cultura.
Ela é muito perigosa, Não é Zé
É sim João, muito perigosa, alem desses casos citados temos: a cultura da corrupção, a cultura que é dando que se recebe bem mais, da cultura do deboche, a cultura do revanchismo e assim por diante, todas elas são destruidoras.
Mais Zé o que faremos para Combater tal mal?
Ir a luta, primeiro tentar entender o processo de contaminação desta doença e depois divulgar o que aprendeu para combatê-la
Prevenir o povo que essa terrível doença tem cura, é só ter cuidado para não se envolver com ela.



Chicão de Bodocongó
Campina Grande, 23 de junho de 2016
Às 9h 39min


Chicão de Bodocongó foi a melhor maneira de homenagear o bairro que moro a trinta anos na cidade de Campina Grande ( Bodocongó ), Paraíba. O meu nome é Francisco de Assis que é acompanhado pelo sobrenome Cunha Metri e faz pouco dias que venho publican...

 
Autor
ChicãodeBodocongó
 
Texto
Data
Leituras
316
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.