https://www.poetris.com/
 
 
 
esqueço das várias que fui aos poucos
o devir vem brutalmente
sem nitidez
rasgando os espectros entorpecentes
das possibilidades
do infinito

sinto meu corpo desvanecer e reintegrar-se
e lembro que
o espaço
é só uma questão de tempo
um detalhe...
minha mente existe

já imaginei que pudesse brincar com os anjos
e tocar a placidez dos planetas
com um sorriso
e trazer a luz de um metal precioso
nos gametas
e declamar um poema incandescente
com um só beijo...
como um tapa na cara
da morte
e nos relógios atômicos que desenham as linhas
de nossa humana
imperfeição

houve um tempo que
acreditei na indecência
do céu e das estrelas...
com tantas constelações
não poderia haver tanta
solidão e violência

desvencilhei-me de amarras
e armadilhas
escalei um poço escuro arrebentando as vísceras
do tempo
e deixando seus pedaços pelas pedras escorregadias...

não tive medo do desfalecimento
do ser
solucei de saber-me só em trilhas
que pensara que só eu conhecia

reli linhas escritas
displicentemente largadas no lodo
como se valessem todos
os choros
como cartas indesejáveis sem destinatários
pelas horas infatigáveis que impõem o seu próprio fim

temi perder meus pensamentos que fugiam
não os tinha seguros
quando tinha pensamentos demais

enamorei-me da paz do silêncio
que mostra nuances invisíveis
do impossível

enquanto decifrava imagens em mim
indecifráveis
vasculhava meu coração e sangrava
aquela coragem absurda
de acreditar
e de sentir-se
completamente minha...

sentir é um pequeno momento
de lucidez
amar é sorver-se e reencontrar-se
no caos de ser várias
ao mesmo tempo...
de sermos nós
no tempo que há

minha mente ainda resiste
ao nada...
meu coração ainda insiste
em fazer morada
no templo do infinito...




 
Autor
samanthabeduschi
 
Texto
Data
Leituras
1898
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/07/2016 05:47  Atualizado: 11/07/2016 05:47
 Re: Devir
Muito bom