https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Sombrios : 

CARVALHO

 
Tags:  morte  
 
 
CARVALHO

Sou um corpo pesado um verme
Roubado do ventre de minha mãe
Presa nos pátios vazios da saudade
Os meus braços, as minhas mãos
São madeira repleta de vermes
Madeira das lajes dos mortos
Entre as flores de um descanso
No silêncio de um carvalho
Onde ninguém me pode ouvir
Rasgo a minha carne queimo
Os olhos para me sentir livre
Mordo a minha própria carne
Num mudo grito com os lábios
Costurados de dor, boca que
Mastigada satiricamente a carne
Madeira talhada com a sentença
Rasgando o meu coração com raiva
Madeira de uma laje no silêncio
Feita em madeira de um belo carvalho
Sente-se o cheiro forte do enxofre
De morte misturado com as frescas flores
É um cheiro muito amargo de saudade
Feitas com rendas antigas e seda selvagem.

Mia Rimofo
Open in new window

 
Autor
MiaRimofo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
387
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
32 pontos
4
6
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/08/2016 00:29  Atualizado: 05/08/2016 00:29
 Re: CARVALHO
Gostei do vosso texto.
Ficar bem, Senhora poetisa.
PG


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 05/08/2016 12:01  Atualizado: 05/08/2016 12:01
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: CARVALHO
Antos que vem das sombras assombrando os lilás dos olhos, surgem dos vultos o aquilo que não se quebra, madeirando nossos sentido dos sentimentos, onde o silêncio vem de um carvalho plantado dentro do olhar da vida