https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Miradas gulosas e famintas

 
Open in new window

Ó doce Verão! Não leves teus raios de sol
Pra lá dos horizontes adormecidos,
Preciso de ti, aqui nestes principados
Onde sou fã de bumbuns bronzeados

Adie o inverno que empina girassóis
Com seus friolentos dedos,
Que tecem meus medos
Das gélidas águas do recife

Adie, não me deixe fazer de patife
Perante olhares sedutores das donzelas,
Que me cozem sem tachos nem panelas
Nestas tórridas areias do prazer

Deixe incidir teus raios ultravioletas
Nestas nádegas perfeitas,
Torradas nas torres da minha vigia, eleita
Pelas minhas miradas gulosas e famintas

Ó verão encantador! Fique por mais um tempinho,
Não me deixe sozinho
À contar vagas friolentas do recife
Que vêm botar suas lágrimas no meu velho esquife

Adelino Gomes-nhaca


Adelino Gomes

 
Autor
Upanhaca
Autor
 
Texto
Data
Leituras
487
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
0
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.