https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Aura negra

 
Num pedaco de tempo fui tua,
como um corpo na agua flutua,
numa mare agitada me deixei ir assim como uma tempestade nos faz ruir

Passei por ti e a ti te encarei,
mas nao serei!
Nao serei mais essa alma com que tu brincas,
nao serei mais o martir que trincas

Com esses teus dentes afiados,
aliados...
Arrojadas sao as tuas vontades amargas e com as tuas unhas alargas o buraco negro que gostas de deixar.

Na tua burca carregas uma acidez que nao negas quando olho para ti com os meus olhos vidrados de dor.

E amor...
Um amor desvanecido quando olho para este ser
enaltecido que tudo me faz temer sem nada temer.

Cravo-te agora na alma toda a minha calma e forca sem que te doa ou distorca mas que te faz morrer!

Desaparecer!

Sei que estas adormecida,
aura negra e perdida que em mim te encontras e te perdes.

Sem que tropeces faco-te desaparecer num piscar de olhos ao amanhecer.

Pego nos comprimidos e num copo de agua deixo para tras toda a magoa que trouxeste contigo.

Foste o meu abrigo...
A pastilha imaginaria que me deixava nostalgica sem que eu permitisse.

Se eu desisti-se?
Nao seria nada estranho vindo de mim.

Neste fernezim que foram os ultimos tempos entrego-te de volta os tormetos que me ofereceste com apresso.

O vento sopra e nele me deito no sossego sem despeito deixo-me ir...

Com proeza tive-te dentro do meu peito,
e agora me deleito ao ver-te partir.

Despeco-me de ti aura negra sem pena ou saude.
Cravo-te na alma a anciedade que em mim plantaste.

Recusaste o meu apelo desesperado quando te pedi para me lagares.
Sem negares ficaste.

E altura de te ver pelas costas sem mais palavras,
sem pedir respostas repostas.

Tenho a certeza de olhar para mim com clareza e ver que em ti nada mais encontrei que uma ferida...

Olho para ti no espelho todos os dias,
e espeto-te uma faca em quanto te achas vencedora

Aterrorizadora foi assim a noite em que abracaste o meu corpo nu
em mim deixaste uma dormencia que quase me levou a demencia
sem do.

Nao me deixavas adormecer e no medo de me perder eu deixei-me ir.

Esta na hora de te ver morrer sem demora

Nem que seja por agora.


Raquel Pereira

 
Autor
R@quel
Autor
 
Texto
Data
Leituras
437
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
geraldocoelho
Publicado: 24/12/2016 03:50  Atualizado: 24/12/2016 03:50
Colaborador
Usuário desde: 14/11/2010
Localidade:
Mensagens: 625
 Re: Aura negra
Hora de arrumar a casa; limpar as gavetas!...
Gostei; cara poetisa!...Aplausos; beijos fraternos e um FELIZ NATAL.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/12/2016 17:01  Atualizado: 29/12/2016 17:01
 Re: Aura negra
Não o leve para 2017, parabéns

Bjs