https://www.poetris.com/
 
Textos -> Desilusão : 

O Adeus

 
Interessante como as pessoas se vão de repente, tudo muda muito rápido. Algumas mudanças são incompreensíveis, inexplicáveis. Algumas delas machucam, outras nos deixam felizes, mas se alguma te deixar feliz, eu também fico.
Acontecimentos ruins me acompanham freqüentemente, te amar agora já não sei se faz diferença, afinal, de que adianta amar e não ser amado, ser usado e descartado. Meu defeito é te amar demais. E também, o que eu posso fazer se ainda não aprendi a te esquecer?
Só quero partir pra outra vida, efetuar a morte completa de um ser que após desilusões se encontra inanimado, em estado vegetativo. Almejo partir para outro lugar, longe de tudo e de todos. Minha vida não tem mais sentido, meu coração parou de bater, meu cérebro parou de funcionar, meu pulso não pulsa mais, meus pulmões estão sem ar, meus olhos não vêem, memórias já não as tenho e lembranças apagadas.
Lembranças de um passado que não pretendo viver mais, lembranças de um passado que me faz estar em meio a multidão, mas sento o único incolor, insensível, instável e inerte.
Parti para nunca mais voltar, sumi para nunca mais sofrer, encontrei meu refúgio de paz, e ao mesmo tempo, meu canto para morrer. Saudades ninguém sentirá, pois sou insignificante demais para ser lembrado por algum ser.

Renan Saraiva
19/06/2008


Renan Saraiva

 
Autor
RSaraiva19
 
Texto
Data
Leituras
215
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.