https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

O céu daquela noite

 
não compreendi
o céu
daquela noite.
Não vi estrelas
como outrora.

bebi águas sagradas.
suporto
golpes
do vento.

as armas
coloco
na mesa .
a guerra foi declarada
ao meio-dia.

aflito, abro
janelas e portas.
o corpo trêmulo abraça árvores.

preparo
uma canção
para ninar serpentes.

facas e punhais ainda guardo.



Poemas em ondas deslizam nas águas.

 
Autor
RaipoetaLonato2010
 
Texto
Data
Leituras
271
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
5
4
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 11/07/2017 13:54  Atualizado: 11/07/2017 13:54
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16950
 Re: O céu daquela noite
Parabéns Rai

no meu mundo preparei uma canção
para ninar serpentes atrás dos muros.


Puro lirismo! Adorei!
Levei!

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 11/07/2017 13:57  Atualizado: 11/07/2017 13:57
 Re: O céu daquela noite
Belo e lírico!

Um abraço,

Anggela


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 13/07/2017 11:40  Atualizado: 13/07/2017 11:40
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29490
 Re: O céu daquela noite
Um lindo poema que se aprofunda nos mais intensos dos sentimentos insanos