https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

puro e simplesmente

 
se soubesses ah, como sou triste
porque ficas longe e tão ausente
talvez na estrada velha que existe
junto a minha casa, em frente
ali passasses, por acaso, valente.

se soubesses ah, como é doce
um coração com outro coração
talvez por um minuto que fosse
estivesses à minha porta
ah como amigo, ou mesmo irmão

se soubesses ah, como é bela
para a alma uma simples visão
talvez olhasses para a minha janela
assim, como o destino
de quem olha, sem razão

se soubesses ah, como te amo
fosses tu, corrente de ar somente
talvez por esta porta sem batente
entrasses como pássaro que reclamo
ah, puro e simplesmente.


RoqueSilveira

 
Autor
RoqueSilveira
 
Texto
Data
Leituras
1493
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
7
4
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 15/04/2018 13:16  Atualizado: 15/04/2018 13:16
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15149
 Re: puro e simplesmente
Dá vontade de pegar o fio final do poema e dar continuidade a essas linhas tão sutis e de uma leveza bonita que enternece e amansa. Poesia pura e simplesmente bela. Parabéns e obrigado pelo momento. Beijos, Roque!

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 15/04/2018 15:01  Atualizado: 15/04/2018 15:01
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: puro e simplesmente P/RoqueSilveira
Se gostei...simplesmente encantador! Beijinho Vó

Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 15/04/2018 21:50  Atualizado: 15/04/2018 21:50
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 16132
 Re: puro e simplesmente
Poetisa
Simplesmente apaixonante!
Levei!
Beijos!
Janna


Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 17/04/2018 15:09  Atualizado: 17/04/2018 15:09
Colaborador
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 1592
 Re: puro e simplesmente
Na primeira estrofe surge o tom.
Um "...valente.." seria ao aceder ao desejo do sujeito poético.
Todo o poema está pausado por exclamações, elevando a prece a súplica.
Na segunda estrofe, mantêm-se o mote, contudo há um redireccionamento da afeição, terminando em referências ao amor universal, ou fraternal.

Mas o sujeito poético trai-se, ou talvez não, com a última estrofe.
"...fosses tu, corrente de ar somente
talvez entrasses por esta porta sem batente..."

Como são belos estes versos.
A metamorfose do objecto desejado em "...corrente de ar..." (ou talvez uma metáfora bem conseguida) diminuindo-o para algo tão imaterial como a matéria gasosa, mas tão essencial à sobrevivência dos organismo aeróbios, como nós, é deliciosa. Além de a declaração de que o coração do sujeito supracitado é "...uma porta sem batente..." em que deduzo não ser fácil entrar.

Puro sim.
Simplesmente, nem tanto. Bem complexo, na minha opinião.

Gostei.

bj


Enviado por Tópico
MaryFioratti
Publicado: 20/04/2018 16:24  Atualizado: 20/04/2018 16:24
Colaborador
Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 2380
 Re: puro e simplesmente
Que lindo isso Roque!
Muito lindo!

Abracos!

*Mary Fioratti*