Poemas -> Amor : 

Ainda Existes

 
Sinto a falta da tua respiração junto ao meu pescoço, o murmurar de um amo-te...
Adivinho-te o cheiro de uma rosa que pegas-te, a cor do whisky que bebeste, a música que soou ao teu ouvido...
Aquela mensagem repleta de sentimentos esvaneceu, agora o teu Olá, é simples, porque te conheço...
Não te sinto, não te oiço, quase não te vejo, mas sei que ainda existes...
Sei que ainda me sentes, ainda me abraças de vez em quando, ainda fazes parte do meu poema...
Quando a noite chega, sei que estas lá, podes até estar ausente, mas estás lá...
E assim, ainda te adivinho o cheiro da rosa que me ofereces, o vinho que degustaremos e a música que irás murmurar ao meu ouvido...
É quando te respondo... Amo-te


MF

 
Autor
Margarida Faísca
 
Texto
Data
Leituras
756
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.